domingo, 16 de agosto de 2009

OS QUATRO INIMIGOS DO HOMEM

OS QUATRO INIMIGOS DO HOMEM

                                                              THEODIANO BASTOS
                                           “O poder é uma carga em seu destino” e um dos quatro piores inimigos do homem, já alertava Don Juan, feiticeiro da tribo Yaque de Sonora, México, contado por Carlos Castaneda em seu livro A Erva do Diabo,


                                          O PODER é o mais forte de todos os inimigos do homem. Afinal de contas, o homem é realmente invencível. Ele comanda; começa correndo risco calculados e termina estabelecendo regras, porque é o Senhor. “Um homem nesse estágio, quase nem nota seu terceiro inimigo se aproximando. E de repente, sem saber, certamente terá perdido a batalha. Seu inimigo o terá transformado num homem cruel e caprichoso. Um homem derrotado pelo poder morre sem realmente saber manejá-lo. E um homem desses não tem domínio sobre si e não sabe quando ou como usar o poder! “Terá de desafiar propositadamente o poder para poder derrotá-lo. Deve aprender a controlá-lo em todas as ocasiões, tratando com cuidado e lealdade tudo o que aprendeu. O primeiro dos inimigos do homem é o
                                          O MEDO. O medo que permanece oculto em todas as voltas do caminho à espreita. A solução é enfrentar e desafiar o medo. Não se deve fugir dele. “Deve-se ter medo, plenamente, e no entanto não se deve parar”, pois o derrotado pelo medo, jamais será um homem de conhecimento e muito pior, se transformará num tirano, ou um pobre homem apavorado e inofensivo, será um homem vencido. A vitória sobre o medo, traz ao homem a segurança de si mesmo, não sente mais medo de aprender, adquiriu confiança em si, ele agora é um homem de
                                      A CLAREZA... uma clareza de espírito que apaga o medo. O homem ´, então, já conhece seus desejos; sabe como satisfazê-los. Pode antecipar os novos passos na aprendizagem e uma clareza viva cerca tudo. O homem sente que nada se lhe oculta. “E assim o homem encontra seu segundo inimigo: A clareza; essa clareza que é tão difícil de obter, continua ensinando o índio feiticeiro Dom Juan. Elimina o medo, mas também o cega”, obriga o homem a nunca duvidar de si. Dá-lhe a segurança de que ele poder fazer o que bem entender, pois vê tudo claramente. Ele é corajoso porque é claro e não pára diante de nada porque é claro. Mas tudo isso é engano; é como uma coisa incompleta. Se o homem sucumbir a essa tentação, terá sido derrotado pelo segundo inimigo natural. Mas se enfrentar e também vencer essa tentação, será um homem de PODER. Se for derrotado, não será ainda um homem de conhecimento, mas poderá ser um guerreiro valente, ou um palhaço. Não terá mais medo, dominará a clareza e atingirá o verdadeiro poder. E assim, o homem estará no fim de sua jornada do saber, e quase sem perceber encontrará seu último inimigo:
                                            A VELHICE. Este inimigo, alerta o feiticeiro mexicano Dom Juan, é o mais cruel de todos, o único que ele não conseguirá derrotar completamente, mas apenas afastar. O homem não tem mais receios nem impaciência, pois seu poder está controlado. O perigo é sentir o irresistível desejo de descansar. Se ele ceder completamente a seu desejo de se deitar e esquecer, se ele se afundar na fadiga, terá perdido a última batalha da vida e seu inimigo o reduzirá a uma criatura velha e débil. Mas se o homem sacode sua fadiga, e vive seu destino completamente, então poderá ser chamado de um HOMEM DE CONHECIMENTO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário