segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

COPA DO MUNDO: QUEREM INVIABILIZAR






COPA DO MUNDO: QUEREM INVIABILIZAR A REALIZAÇÃO


PESADELO OU PREMONIÇÃO?

Este blog é visto em 64 países e agora pode ser lido em dez idiomas. Além do português pode ser traduzido para os seguintes idiomas: inglês, francês, espanhol, alemão, italiano, russo, chinês, japonês e dutch (idioma falado na Bélgica, Indonésia e outros países. Basta clicar na bandeira dos respectivos países para o conteúdo do blog ser traduzido.

Ao ver o agravamento dos sintomas de uma convulsão social no Brasil, lembrei-me que em 14 de agosto de 2013, meu amigo J.P.d’A. (ele pede para que seu nome seja preservado), contou-me o sonho que teve em que o deixou muito assustado.  Acordou no meio da noite ansiando e não mais conseguiu dormir.
Eis o relato da visão que teve em sonho: Via três helicópteros pousados nos jardins do Palácio da Alvorada em Brasília. Um era do Exército, o outro da Marinha e da Aeronáutica. Era madrugada e levaram a presidente Dilma.
Na manhã seguinte os militares, em rede de rádio e televisão, informavam as razões da deposição que teve de ser tomada para evitar uma guerra civil e que tinham empossado o presidente do STF Joaquim Barbosa como presidente de transição até as eleições de outubro.
Continuando com o relato de sua visão, ele disse que pegou relógio e viu que o mês era agosto mas estranhamento o ano não era 2013 mas 2014.
Fiquei também assustado porque esse amigo é um conhecido vidente, dotado de poderes extra-sensoriais, como ler os pensamentos das pessoas e principalmente a premonição.   
  PROTESTOS CONTRA A COPA
Ao contrário do movimento popular de junho de 2013 quando os objetivos eram difusos, o de agora tem o objetivo bem claro:


Ao contrário do movimento popular de junho de 2013 quando os objetivos eram difusos, o de agora tem o objetivo bem claro: NÃO VAI TER COPA
inviabilizar a realização da Copa do Mundo e que deverá tomar rumos imprevisíveis com o início do ano letivo. O MOVIMENTO AGORA É LIDERADO PELOS BLACK BLOCS.


E tudo acontece com o Brasil com fortes sintomas de convulsão social. 

Ao menos 13 capitais tiveram protestos contra a Copa neste sábado
Além de São Paulo, pelo menos outras doze capitais tiveram manifestações contra a realização da Copa do Mundo no Brasil na tarde e início da noite deste sábado (25).
Em São Paulo, Fortaleza e Natal houve depredações de patrimônio público e manifestantes foram presos. Em São Paulo, a Polícia Militar entrou em confronto com manifestantes e um hotel na rua Augusta foi usado para render manifestantes, que foram levados para depor em delegacia nos Jardins. Em Fortaleza, a polícia usou munição de efeito moral para dispersar os manifestantes. Em Natal, um grupo tentou invadir o estádio Arena das Dunas e ateou fogo em uma tenda próxima ao local.
Rio de Janeiro - Cerca de 30 pessoas se concentraram na calçada em frente ao hotel Copacabana Palace, na zona sul. No começo da manifestação, o número de policiais escalados para acompanhar o ato era maior do que o de manifestantes: cerca de 50 PMs observavam, à distância, a movimentação dos manifestantes, que escrevem cartazes com dizeres como "boicote à Copa".
Recife - Na capital pernambucana, manifestantes também participaram de uma passeata contra a Copa. O ato reunia pouco mais de 60 pessoas às 17h30 (horário de Brasília), no Recife Antigo, região central, de acordo com a Polícia Militar de Pernambuco. Não houve registro de incidentes graves.
Curitiba - Cerca de cem pessoas participaram de passeata nas ruas do centro da capital do Paraná, próximo à praça Tiradentes e à região conhecida como Boca Maldita, tradicional ponto de encontro da cidade. Não havia registros de confrontos até o início da noite deste sábado.
Goiânia - Um grupo de cerca de cem manifestantes participou na manhã deste sábado (25) de um protesto em Goiânia contra os gastos da Copa 2014. Não houve confrontos. De acordo com o porta-voz da Polícia Militar de Goiás, coronel Divino Alves, os manifestantes atearam fogo a latas de lixo e pneus, mas não houve incidentes. "A PM observou, mas não houve intervenção", disse.
Fortaleza - o protesto teve concentração na estátua de Iracema, um dos principais pontos turísticos da cidade; duas pessoas (um adulto e um adolescente) foram detidas pela Polícia Militar por estarem portando estilingues, pregos e máscaras. Houve ainda uso de munição de efeito moral para dispersão dos manifestantes. Segundo a Secretaria de Segurança do Estado, havia pessoas depredando lixeiras e danificando carros estacionados na região. Não há registro de feridos.
Natal - Foram detidas 15 pessoas após os protestos em frente à Arena das Dunas, estádio inaugurado na última quarta-feira (22) pela presidente Dilma Rousseff. Um grupo de manifestantes tentou invadir o estádio, danificou uma grade de acesso ao local e ateou fogo em uma tenda usada para dar apoio aos operários da obra recém-inaugurada. O Batalhão de Choque da Polícia Militar foi acionado, e os detidos foram levados à delegacia sob acusação de danos ao patrimônio público, informou o coronel Araújo, da PM do Rio Grande do Norte.
Belo Horizonte - cerca de 40 manifestantes ocuparam a praça Sete, no centro da cidade, e um grupo de aproximadamente dez pessoas bloqueou parte da avenida Afonso Pena, na região central. Os manifestantes, formados em parte por um grupo de punks, gritavam palavras de ordem e exibiam cartazes em protestos contra a realização da Copa. Não houve registro de incidentes graves.
Manaus - a Polícia Militar estimou em 110 o número de manifestantes, com mais três grupos menores com até 50 participantes. O protesto era pacífico até o início da noite. 





SÃO PAULO: Total de coletivos incendiados este ano (janeiro) chegou a 33 com novo ataque na noite de quarta-feira


Policiais à paisana serão infiltrados em ônibus que circulam em bairros da periferia da cidade de São Paulo para que possam ajudar nas investigações sobre a onda de ataques contra os veículos do sistema de transporte público. Na noite de quarta-feira, mais um ônibus foi incendiado na capital paulista, desta vez na Zona Leste. Com este novo ataque, subiu para 33 o número de coletivos incendiados neste ano, segundo a SPTrans.

Fonte: http://oglobo.globo.com/pais/
Cada ônibus custa em média R$ 500 mil

  Dilma convoca reunião após protestos contra a Copa
Presidente quer se encontrar com ministros da Justiça, Defesa e Esportes
Em um dos protestos mais violentos desde junho, a Polícia Militar baleou anteontem um manifestante, que foi internado em estado crítico. A tensão gerada pela onda de manifestações pelo Brasil, com atos de depredação e forte repressão por parte da polícia, fez a presidente Dilma Rousseff (PT) tomar, ontem, a decisão de se reunir com sua equipe para traçar estratégia para evitar que as ações cresçam e atinjam o ápice durante a Copa do Mundo.
O tema será tratado com os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Celso Amorim (Defesa) e Aldo Rebelo (Esportes). De acordo com informação de auxiliares da presidente, ainda em Lisboa, onde desceu de surpresa e pernoitou antes de seguir para Havana, Dilma foi informada de que os protestos contra a Copa feitos no sábado (25) foram violentos, com pessoas feridas, depredações e ondas de vandalismo. A presidente, então, convocou a reunião para a volta ao Brasil.
Shoppings do país se reparam para onda de 'rolezinhos'
LEANDRO MACHADO e GIBA BERGAMIM JR.
DE SÃO PAULO e NATUZA NERY DE BRASÍLIA
Os shopping centers do país estão se preparando para enfrentar uma onda de "rolezinhos", encontro de jovens marcados nos centros por meio das redes sociais.
A possível multiplicação dos encontros, que podem assumir caráter de protesto, também preocupa a presidente Dilma Rousseff. Ontem, ela surpreendeu sua equipe ao convocar uma reunião para tratar do assunto.
O maior temor da presidente é que os "rolezinhos" tenham adesão de adeptos da tática de protesto "black bloc".
Ontem, o secretário de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, defendeu que a PM use a força contra os "rolezinhos" se for necessário.
Antes restritos à periferia de São Paulo, os eventos ganharam apoio de movimentos sociais nos últimos dias. A tentativa dos shoppings de proibir os "rolezinhos" no fim de semana insuflou a organização de novos encontros.



29/01/14: O Facebook tirou do ar na terça-feira, 28, uma página criada por movimentos sociais para divulgar os protestos contra a Copa do Mundo. O perfil "Operation World Cup", administrado pelo grupo Anonymous, tinha mais de 16 mil curtidas e foi um dos principais canais de divulgação dos atos do último sábado, 25.
Integrantes dos movimentos classificam a atitude como censura. “A página foi responsável por criar o evento nacional em outros Estados (fora de São Paulo). Ontem, percebemos que ela foi deletada sem justificativa do Facebook. Não questionamos porque sabemos que não adianta, é censura mesmo. Outras páginas que são contra ações do governo já passaram por isso”, disse um integrante do movimento Contra Copa 2014. Ele não quis se identificar.
Nesta quarta-feira, 29, uma nova página do tipo foi criada, com o nome de "Operation World Cup Fase 2". Até as 13h, o perfil já contava com mais de 1,1 mil curtidas.