sexta-feira, 22 de junho de 2012

VISÃO ESTRATÉGICA PETRÓLEO, MINÉRIOS, ÁGUA – DOCE E A 4ª FROTA

           
                               VISÃO ESTRATÉGICA
PETRÓLEO, MINÉRIOS, ÁGUA – DOCE E A 4ª FROTA
              (*) Heitor Garcia de Carvalho

As questões são reais mas mais complexas.
Quarta frota. Obama tem  problemas variados com a questão das armas. Há uma nova geração de material bélico e tem que descartar o antigo. O que tem a ver com isso? Contrariando as estratégias militares estão mantendo os porta aviões dispersos e ancorados em cada porto disponível nos EUA, com exceção dos que estiverem em combate no Afeganistão e na recente intervenção na Líbia. Tradução: cada porta aviões com sua tripulação embarcada de cinco mil homens e muitos outros em terra cria uma movimentação econômica enorme na cidade sede ou seja, votos!!! O presidente cancelou os futuros porta aviões porque como a tecnologia recente é de aviões não tripulados e estes navios são caros para manutenção e tem que ser protegidos passaram a ser elefantes brancos em teatros de guerra avançados. Em terra de índios... tem sua utilidade. Os EUA vão atacar o Brasil? Nunca o fizeram antes mas exercer intimidação sempre ocorreu. O livro a USAID e a Educação Brasileira do escritor Arapiraca tem umas quatro páginas listando as intervenções americanas na América Latina...

A pergunta é quem a esquadra vai interceptar? Quem quer proteger? Não há perspectivas de invasão e desembarque nem na América Latina e nem na África e muito menos Europa. A guerra da Líbia, em cenário de amplos espaços de deserto, era favorável à força aérea. Já na Líbia ou Irã isto não é a mesma coisa.

A frota estaria protegendo a via de transporte de petróleo vindo de  plataformas marítimas nas costas da África e do Brasil. Enquanto campos na terra e oleodutos podem ser alcançados por pequenos grupos e homens bomba para atingir uma plataforma há necessidade de tecnologia mais avançada.

Os EUA  com novas tecnologias de perfuração (a tal horizontal...) estão explorando xisto betuminoso no seu território e no Canadá. Já têm expectativa de auto-suficiência energética mas preferem guardar uma porção considerável do que está no seu território como reserva estratégica.
Com relação aos minérios de terras raras necessários a produtos de alta tecnologia como celulares, células fotovoltaicas, etc... hoje o virtual monopólio é da China com mais de 90 por cento de produção. Há em quantidades apreciáveis na África mas as maiores reservas conhecidas e exploráveis estão no Brasil. Só que não precisam se apoiar na força militar para obtê-las, uma pequena quantidade de dólares de propina e conseguem controlar as holdings que vão fazer a lavra.

-Água doce. A América Latina é o único continente que tem alta disponibilidade por habitante. Porém é inviável transportá-la e nem os americanos sedentos resolverão mudar-se em grande migração para os trópicos. Também eles têm muitas reservas e inclusive as geleiras canadenses. Guerras pela água serão prováveis na Ásia, Europa, África mas não na América Latina, Tais guerras não serão necessariamente com forças armadas mas muito mais com armas econômicas, por exemplo, deslocando para onde há disponibilidade indústrias que consumam muita água.     
Como reagir às "demonstrações de força" americanas? Mais fácil falar do que fazer.

-Militar. A guerra "assimétrica" exige do poder dominante um excesso de recursos como a lição do Vietnam demonstrou. Pode levá-lo à exaustão. O que o Brasil deve fazer? Empatar o jogo seria muito difícil, a URSS, que conseguiu várias paridades, se esvaiu até o colapso econômico. Mas ter condições de "vender caro a pele" pode ser um dissuasor razoável.

-Econômica. Somente o desenvolvimento de tecnologias próprias, sem pagamento de royalties e sem ter  "Codgos secretos com senhas de acesso ocultas para seus desenvolvedores estrangeiros" podem "vender caro a pele" também na guerra assimétrica econômica.
Sintetizando: a situação não é estática e está evoluindo muito rápido. Há ameaças reais. É preciso muita preparação, pesquisa, inteligência (no sentido militar) e trabalho para impor respeito ao menos no sentido de tornar muito custosa qualquer aventura... Vamos, como diz um amigo, continuando "nossa guerrinha"...

Não conseguimos fazer uma batalha do apocalipse com relação a "tudo que está aí mas vamos contribuindo um palito de fósforo acendido de cada vez e com persistência para evitar ficar apenas amaldiçoando a escuridão.
Na verdade não há muita "profundidade" nas minhas observações. O que tem de vantagem é o ponto de vista, isto é, tendo tido acesso  a informações "privilegiadas!, isto é, passado quatro anos no Canadá, um ano em Portugal no auge da crise e, é claro, tantos anos de Brasil e andado por ele quase todo, tenho tido uma posição "em cima da montanha" para ver um pouco da floresta ao invés de ficar só ao pé de uma grande árvore.

Outra atitude importante é manter um trânsito entre quem privilegia um ponto de vista e quem se opõe. A verdade absoluta de um lado contra a de outro  vai, aos poucos, no evoluir das circunstâncias e
da própria argumentação, sendo polida e mudada. De vez em quando  aceitar que erramos feio é o único caminho sensato a seguir. Duvidar das certezas absolutas é o caminho de Descartes para uma reformulação de séculos de adesão (que se tornou cega) a um conjunto de dogmas que eram inconsistentes desde o início mas que muitas vezes nos iludia.

Entre as fontes de debate de questões estratégicas temos no Brasil os estudos de Geoestratégia, nos EUA a Stratford (há relatórios gratuitos na internet), na Russia há as análises disponíveis na web da Gazeta Russa. Cada um tem seus próprios interesses e não pode ser tomado como verdades absolutas mas... lendo as várias fontes fica-se com melhor média de opiniões e/ou elenco de coisas em debate.
As questões domésticas americanas que "explicam" os movimentos erráticos das forças militares quando se olha quem lucra com cada movimento do complexo industrial militar estão na imprensa,
nos debates políticos. É o que se chama no Brasil de "currais eleitorais" e nos EUA "pork barrell".

As questões realmente estratégicas são mais encontradas nos textos da Stratford e da Gazeta Russa, naturalmente em campos opostos. Muito das posições brasileiras se encontram em trabalhos acadêmicos sobretudo do Itamaraty e de alguns grupos - a favor e contra!- de estudiosos nas  pós-graduações. Os estudos universitários são técnicos e chatos mas fundamentados. Os discursos políticos usam dados escolhidos aqui e a
acolá para defender interesses diversos mas terão mais efeito na realidade do que a pesquisa.
E a gente vai pondo estas coisas na bateia e mexendo e remexendo, deixando passar o tempo, na esperança de achar algum ouro..

Alguma futurologia abaixo do Equador. Um destes gurus da informática disse que a melhor maneira de prever o futuro é construí-lo. Se os planos derem certo e os prazos forem atingidos então o futuro se fará presente, realidade. Um pouco de futurologia pode sustentar o ânimo enquanto, agarrados aos destroços de um barco naufragado, tentamos a travessia da vida.
Há muitos indicadores positivos no Brasil e no planeta e que andam sendo ignorados na mídia, sobretudo naquela destinada a anestesiar e iludir as massas facilitando a exploração. Informações alternativas estão disponíveis aos notívagos e usuários de canais de TV traço, isto é, aqueles cuja cotação de audiência é menor que um e portanto aparecem com este símbolo. . Também estão na internet mas é preciso certa habilidade para desconfiar que existem e para obtê-las. Um exemplo: a TV Justiça colocou ao vivo o julgamento do caso da descriminalização do aborto de fetos com anencefalia. A maioria da população recebeu versões editadas daquele programa que, subliminarmente, induziam a interpretações diferentes das expostas pelos juízes. O Novo Telecurso, muito bom, passa às cinco e meia da manhã e os horários nobres exibem as telenovelas. Os noticiários mais densos foram deslocados para depois da meia noite ou antes das seis horas da manhã. Aqueles noticiosos com esportes, celebridades, paisagens do país, crimes e acidentes são a marmita servida ao meio dia e no horário nobre publicitário.

Demografia. Há vinte ou trinta anos a pilula e o maior nível de instrução das mulheres reduziu a natalidade. Avanços na economia e nas ciências (não adiantaria ter conhecimentos e não ter recursos financeiros para financiá-los) est]ao aumentando a expectativa de vida. Criou-se no Brasil o bônus demográfico, aquele em que a forma da pirâmide populacional passa a se assemelhar a uma gota. Poucas crianças, poucos idosos e muita população em idade ativa. Ou, dito de outro modo, muitos produzindo e poucos consumindo gerando excedentes de renda. Em dez anos haverá o modelo pote, ou seja, jovens adultos de hoje estarão entrando na terceira idade com suas aposentadorias, não haverá crianças transformadas em adultos em número suficiente para pagar a s pensões. Poucos jovens significará menor número de crianças e, em consequência, daqui a vinte anos a população total começará a diminuir. Estima-se que em 2050 a Rússia terá metade da população atual. O bônus populacional traz prosperidade mas seria importante acumular recursos para ter como sobreviver às vacas magras.

Agropecuária. Potencializada pelas pesquisas da EMBRAPA, com mercado consumidor do exterior exigindo padrões elevados de qualidade e bons preços, o setor vem batendo recordes a cada ano.Há ainda condições para incrementos “clássicos” de produtividade; Seleção genética, trangênicos, melhoria da logística diminuindo os absurdos de quebra entre o produtor e a mesa do consumidor. Mas há provável adoção de práticas sustentáveis. Há desenvolvimento da aquacultura, novas culturas de grãos, frutas, legumes, fibras, etc...Controles de pragas, aplicação de tecnologias hoje ainda de ponta usadas para a espécie humana estendendo-as aos animais parecem indicar uma aceleração de crescimento no campo e, inclusive, autoabastecimento nas cidades. Alimentos eternos, isto é, com validade indeterminada permitirão sobreviver às secas e outras quebras de safra. Quanto aos prazos...

Indústria. O setor industrial no Brasil, no passado, foi sendo constituído com o descarte relativo de máquinas tornadas obsoletas nos países desenvolvidos. Com a saturação dos mercados naqueles países muita coisa está sendo repassada ao Brasil que tem mercado consumidor ainda ávido daqueles produtos. Todas as marcas de automóvel do planeta estão abrindo fábricas no país e tentando obter uma fatia de mercado. Já amortizaram completamente os investimentos no país de origem mas não conseguem vender mais porque todos já possuem modelos de última geração. No Brasil cada nova venda é lucro líquido por que os custos de desenvolvimento já foram pagos na origem. A cidade de S. Paulo já tem mais lojas de luxo que nos países que as criaram. Há mais helicópteros em S.Paulo do que na maioria das capitais européias. Estão sendo introduzidos no país o trem bala, o grid inteligente de energia elétrica, a energia fotovoltaica, a eólica. Em todos os setores há efervercência de lançamentos. Em síntese, a indústria entra em uma novo patamar ou fase de produtividade. O grande trunfo é ter mercado consumidor. Será um vôo de galinha? Sem pesquisa que alimente uma inovação contínua para além do que for conquistado o risco existe. Pode haver fôlego para mais uma década ou estourar uma bolha em um ou dois anos. Um refluxo em relação à China já começou nos EUA. Produzir na América do Norte já se torna competitivo porque o dólar se enfraqueceu, a cadeia logística de transporte encarece o produto e compromete prazos de entrega.Ainda não se tornou um padrão ou regra mas a época de ouro da terceirização de produção já perde o antigo esplendor. 

O Brasil tem “descoberto” fatores ocultos. O Pré-Sal, reservas de gás no vale do Jequitinhonha similares às da Sibéria, reservas de minerais de terras raras. Estes são necessários para os produtos de alta tecnologia e hoje só tem exploração, em torno de noventa por cento, na China. Por outro lado as tecnologias de exploração e beneficiamento ainda precisam ser dominadas por brasileiros.
O grande obstáculo a todo este progresso é a baixa qualificação da mão de obra e escassez de formação de quadros superiores em universidades a despeito dos progressos reais já feitos. 

Serviços. Neste particular estão sendo feitos enormes progressos na direção de modernizá-los. Os ganhos de produtividade com uso da convergência digital reduzindo custos, prazos, aumentando a confiabilidade, automatizando, etc... tem sido enorme. Serviços financeiros e bancários estão se modernizando a cada semana. Turismo está removendo atrasos de décadas. Serviços de saúde tem apresentado resultados de ponta como nos centros mais avançados. Há renovação na habitação, segurança, educação, entretenimento. Atenção para uma certa cacofonia nestas afirmações pois, se há avanços, convive-se com situações de extrema deficiência ou carência lado a lado com os casos de sucesso. Nos serviços é quase impossível a transferência direta de tecnologia do exterior para o país. Há que qualificar os prestadores de serviço pelo menos até um nível em que possam executar os novos processos. Um antigo peão de gado pode, com treino aligeirado, fazer uma inseminação artificial para melhorar geneticamente o plantel. Mas alguém terá que ter feito o processo científico e tecnológico que precede o procedimento final relativamente simples feito com instrumentos adequados com base em diagnósticos e metodologias avançadas. As exigências internacionais de padrões sanitários para que importem carne obrigam a cuidar do gado de forma certificada por agências com credibilidade internacional. Esta pressão internacional impede que ao lado de um rebanho vacinado contra aftosa haja um produtor tradicional sem certificação e sem controle.

Sintetizando, no setor serviços, há pressões definidas pelo aumento acelerado da produtividade e isto está ocorrendo. Há casos em que podem, por algum tempo, conviver lado a lado, padrões diferentes em que alguns atendem a exigências internacionais e outros são destinados à população local ou classes de menor poder econômico. Esta dupla estratégia é cada vez menos praticável porque o risco de que uma prática contamine a outra traria prejuízos enormes. A falha em conseguir atingir os padrões de qualidade exigidos no mercado globalizado terá consequências desastrosas. Os eventos de grande porte previstos para os próximos anos serão uma oportunidade de dar um salto adiante ou, na eventualidade de grandes fracassos, de instaurar crise de dimensões sem precedentes na história do país. Criminalidade e banditismo organizados e globalizados podem ter nestes eventos uma chance de transformar o país em uma nova Colômbia como está sendo o caso do México.
Tentando criar um certo fecho para estas reflexões é relevante constatar que há uma encruzilhada de tomada de decisões e possibilidades de ações afirmativas e positivas. Há, embora muita vez encoberta ou abafada pela glorificação de pseudo-sucessos, uma enorme capacidade de trabalho, de criação, de obtenção de resultados e de realizações dentro do país. As forças vivas e positivas são, mais uma vez, chamadas ao sacrifício e à ação e a continuar a carregar o piano.

Um rei nú. O programa Brasil Carinhoso, PAC-2, apesar da apresentaçâo glamurosa e atraente é um projeto com muitos problemas de concepção e implementação.
O “Brasil Carinhoso” seria desnecessário se o fome zero houvesse sido bem sucedido. Mas como admitir dificuldades e corrigí-las macularia a propaganda de sucesso e demandaria esforços, investimento e trabalho consequente, é mais conveniente inventar uma nova ação.
O nome do programa também tem um apelo emocional e evita traduzir meta como Fome Zero que pretende complementar sem substituir. Em princípio traz uma regra de saída porque se refere a crianças de zero a seis anos. A consequência implícita seria que as famílias sairiam do programa quando seus filhos atingissem esta idade., m Mas estendendo o raciocínio um pouco mais teremos a consequência implícita na regra: quando a criança atingir aos seis anos, ou antes disto, as mães engravidarão novamente para não perder o benefício.

Pode parecer que isto não ocorreria uma vez que as famílias felizes recebendo o bolsa família não teriam porque continuar no limiar da miserabilidade. Na prática isto é que irá acontecer.
Uma segunda questão incomoda em uma análise que leve as metas do projeto a mais algumas consequências práticas. A meta da criação de milhares de creches é excelente, mas, oculta uma outra realidade, ou seja, a inexistência delas mesmo depois de oito anos de governo na administração anterior em que a economia batia recordes de crescimento e o poder público federal tinha superavit primário. Ou, dito de outro modo, faltou investimento nisto. Melhor que isto seja corrigido, antes tarde do que nunca. Então, com creches as mães poderão ingressar no mercado de trabalho. Este item, da consequência lógica anterior também, implicitamente, é indicador de alguma questão mal explicada. Se a economia está aquecida, falta mão de obra, há salários altos e transferências de renda que alimentam o consumo, porque estas mulheres devem deixar os filhos nas creches e ingressarem no mercado de trabalho para complementar renda? Estavam fora do mercado porque careciam de vagas de emprego ou faltavam-lhes qualificações para o trabalho? Como na loteria esportiva é melhor marcar um triplo nesta questão. Faltavam vagas, agora há carência de mão de obra. Há vagas mas os candidatos carecem das qualificações necessárias. Na questão de rendimentos, com a expansão dos crediários, comprometeu-se a renda adquirida, cresceu a inadimplência, é preciso mais renda. 

Promover o ingresso desta outra camada no mercado de consumo através de transferências de renda certamente promoverá mais consumo e, com ele, indução de mais oferta. Esta oferta, em uma lógica básica, deveria induzir mais produção e mais emprego. Esta maior ocupação levaria a mais renda e se criaria um círculo virtuoso. Mas, na prática, ao se atingir o pleno emprego dos recursos produtivos, há que se mudar de patamar de capacidade instalada. Para isto teria que ter havido, previamente, investimento em ampliação da capacidade produtiva. Seria injusto dizer que não houve esforços neste sentido nos oito anos anteriores. Grandes obras de infraestrutura foram iniciadas, atrairam-se novas indústrias e investimento externo, há enormes projetos em perspectiva como o Pré-Sal e o reequipamento da marinha mercante e construção naval, a retomada da indústria de defesa, etc.. etc.. Mas... as contas, novamente, faltam fechar. 

Um exame do calendário das realizações e da implementação das ações parece indicar uso daquele famoso kit de primeiros socorros obrigatório nos carros para resolver as mortes por acidentes nas estradas. A cada agravamento de situação há o lançamento bombástico de mais um projeto que camufla fatos de que os rumos e metas dos projetos anteriores andam muito longe de se tornarem realidade. A lista seria longa, vamos assinalar alguma coisa para exemplo. Aumento de consumo sem correspondente acréscimo de oferta terá por consequência inflação, desabastecimento e aumento de importações. Novamente há que se marcar um triplo.
Com os altíssimos juros pagos no mercado brasileiro e o aumento do consumo interno, muito investimento direto estrangeiro,que a presidente chamou de tsunami de dólares, entrou no Brasil e trouxe como consequências a valorização excessiva do Real. Esta valorização tornou os produtos brasileiros, sobretudo os manufaturados, pouco competitivos para exportação. O consumidor brasileiro continuou pagando produtos caros, juros altos e... importando em quantidades crescentes bens e serviços. A indústria começou a sofrer setorialmente com a concorrência dos importados e reagiu inicialmente importando insumos. O governo começou a exigir que as indústrias estrangeiras se estabelecessem no país e tivessem alto conteúdo nacional. Medida esta última, em princípio correta, mas que chegou tarde para salvar as empresas brasileiras. A cada dia se descobre que empresas tradicionais, na surdina, tornaram-se simples subsidiárias de estrangeiras. As cadeias de supermercados, por exemplo, ainda que haja algumas marcas tradicionais tornaram-se subsidiárias. As empresas de aviação também e setor atrás de setor o padrão se repete.

Por mais que os indicadores teimem em mostrar sucesso no combate à inflação, inclusive com recursos como renúncia fiscal, manutenção do preço de combustíveis, na ponta o consumidor tem que acomodar aumentos. A prestação de serviços tem tido aumentos nominais relativamente pequenos mas reais bastante significativos. Não se reflete bem nos índices que as diaristas estão cobrando muito mais. O que ocorre é que muitas famílias estão sendo obrigadas a cancelar este serviço. Os bancos diminuíram a taxa de juros mas passaram a cobrar outras taxas e seu faturamento total continuou o mesmo.
Outro ponto nesta equação é o desabastecimento relativo. As prateleiras dos supermercados continuam ainda cheias mas determinadas marcas ou produtos desapareceram ou se encontram com preços triplicados. O consumidor pode escamotear a inflação mudando para novas marcas ou alternativas que surgem. Algumas destas alternativas são importadas, como no caso das cervejas. Há marcas tradicionais que caíram sob o controle estrangeiro, por exemplo, a cervejaria Kaiser passou a ser Heineken. Ela já era da Coca Cola mas pode ser citada como exemplo de empresa e marca tradicional que tornou-se subsidiária estrangeira.
O tradicional feijão preto, isto é, uma atividade em que o país vem batendo recordes sucessivos de produção e produtividade, já tem mais de sessenta por cento do abastecimento interno com importado chinês!!!! Na agropecuária ainda somos bem sucedidos exportadores mas na agricultura já há dificuldades em várias áreas com concorrência estrangeira, por exemplo, no etanol.
Megaprogramas como criação de escolas técnicas, teoricamente bons, na prática, houve uma colocação de carros adiante dos bois. Construíram-se escolas, matricularam-se alunos, mas não houve preparação prévia de professores e nem contratação. Como consequência, alunos sem aulas por falta de professores. Na ferrovia Norte-Sul foram colocados trilhos mas sem consolidar os cortes nos morros e sem pátios de manobra. Não há como carregar e descarregar os vagões e é preciso fazer estas obras e, em regime de urgência, fazer as contenções para evitar que tudo seja destruído na próxima temporada de chuvas e, enquanto isto, os trens não podem trafegar.

A percepção dos riscos da economia brasileira pelos especuladores internacionais coloca o país como quarto na linha de ser atingido pela crise, o PIB está em tendência para zero.
As medidas que impunham sacrifícios necessários como a redução dos juros que carregava a impopularidade de alterar as regras da remuneração da poupança foram sendo adiadas. E muitas outras coisas que o governo atual tem atacado com aparente coragem, isto é, tentando evitar o pior, tornaram-se emergência por terem sido postergadas com fins eleitoreiros.
Muitas medidas populares geraram efeitos colaterais praticamente contrários ao seu objetivo. Por exemplo, o vale transporte. Alivia o custo para o trabalhador mas tornou-se uma espécie de mensalão das empresas de ônibus. Por mais que ele circule comprando cachaça, cigarro ou seja lá o que, no final, cairá no caixa delas. O crédito consignado assegura que os bancos recebem com toda certeza, antes de qualquer outra despesa que o devedor possa fazer. É ruim conceder crédito? É ruim dar vale transporte, vale alimentação, seguro desemprego... Nenhum desses programas são ruins em si mesmo mas a sua administração prática estão produzindo distorções enormes.
O hiperfaturamento de obras e projetos com práticas de caixa dois para política e desvio para corrupção, lavagem de dinheiro, contravenções de diversas espécies como fachada para crimes está em uma escala enorme. Tendo sido iniciada a rampa descendente em direção à informalidade os participantes passaram à contravenção. Dela enredaram-se na criminalidade com uso de laranjas e terceiros. Os fundos ocultos ou são reciclados com negócios formais aparentemente legais ou procuram paraísos fiscais. Quando os casos se tornam públicos e as provas se acumulam e o risco de serem julgados e punidos pela justiça os seus perpetradores vão se apoiar e inspirar nos grandes mestres do crime organizado como, por exemplo, a máfia. Não recuam diante da intimidação da população, da corrupção policial e até do assassinato de agentes da lei seja policiais ou juízes.
Além da associação com regimes políticos párias internacionais a situação da cleptocracia no Brasil está escancaradamente se apresentando publicamente com ícones de mau-caratismo com abraços e encontros públicos com aqueles que sempre combateram publicamente.
Em resumo: o rei está nu. O que fazer? Mandar embora os impostores que iludem o rei e criar novos programas baseados em pesquisa de diagnóstico das necessidades, proposição politicamente corajosa das medidas necessárias, trabalho, estudo, controle, administração e muitas outras coisas necessárias para que o potencial do país seja aproveitado para criar um melhor futuro.

(*) Heitor Garcia de Carvalho é professor-doutor do IFES/MG, Belo Horizonte



quinta-feira, 21 de junho de 2012

A MULHER IDEAL


     Theodiano Bastos


A grande pergunta que todos os homens fazem é como encontrar a cara-metade ideal e assim corre o risco de uma procura irrealizável; a procura de
um mito de mulher. É Duro descer à realidade. Mas o perigo espreita...
É bastante ilustrativo o filme do cineasta alemão Robert van Ackeren,                                  
A ARMADILHA DE VENUS.

Este filme “CONTA A HISTÓRIA DE UM HOMEM QUE DESEJAVA REDESCOBRIR O AMOR. MAX, 30 ANOS, É MÉDICO EM UM HOSPITAL, HÁ ALGUNS ANOS ELE VIVE JUNTO COM SUA NOIVA QUE, CIUMENTA, O CERCA  E O VIGIA. ELA É APAIXONADA, SEDENTA DE VIDA, TEM MUITAS FANTASIAS E VIVE EM UM MUNDO IMAGINÁRIO MUITO PRÓPRIO. ELA ENCONTROU A FELICIDADE E A DEFENDE COMO UMA LOBA.
APESAR DE SUA AFEIÇÃO POR ELA, MAX ENTRA EM PÂNICO CADA VEZ MAIOR DIANTE DA PERSPECTIVA DO ESTABELECIMENTO DE UMA ROTINA DE VIDA. COM CADA VEZ MAIS FREQUENCIA  ELE SE APRESENTA COMO VOLUNTÁRIO PARA O PLANTÃO NOTURNO. OCORREM, ENTÃO, SUAS INCURSÕES PELA CIDADE, LEVADO PELA ÂNSIA DO GRANDE AMOR QUE A TUDO TOMA. ESTAS INCURSÕES  LHE DÃO A OPORTUNIDADE DE UMA ESPÉCIE DE EXPERIÊNCIA PRÓPRIA, ELE SE ENCONTRA NA OBCESSIVA BUSCA DA MULHER IDEAL. E ELE A ENCONTRA...

A ARMADILHA DE VÊNUS É UM FILME SOBRE OS ENCANTOS DA FANTASIA PECADORA. UM FILME SOBRE ILUSÕES, ÂNSIAS E DESEJOS SECRETOS.
UM FILME SAÍDO DAS IMAGENS DOS SONHOS E DAS FANTASIAS MASCULINAS, COM ELEMENTOS DE IRONIA, CÔMICOS E MELODRAMÁTICOS”.

Mas no filme, Marie, uma morena esperta e sedutora, vendo-o propenso a escolher a noiva para se casar, resolve a pendência e se despede de Max dizendo-lhe que aquela seria a última noite em que estariam juntos.
E bem devagar e baixinho disse ao ouvido esquerdo de Max, porque ele era destro:
Espero que nas suas lembranças me tornarei a mulher que infinitamente procuras: bela, inteligente, boba, elegante, vulgar, temperamental, lasciva, feminina, prostituta, companheira, inalcançável.
Era um mito o que Max procurava no filme “A Armadilha de Vênus”.
Leia neste blog o texto: MULHER VERSUS HOMEM?

terça-feira, 19 de junho de 2012

USA 4ª FROTA: AMEAÇAS NO HORIZONTE




USA 4ª FROTA: AMEAÇAS NO HORIZONTE
    PETRÓLEO, MINÉRIOS E ÁGUA DOCE

Em 13 de junho de 2012, o senador Pedro Simon ocupou a tribuna e definiu como “leitura obrigatória” o alerta feito por Santayana sobre os dois 'inimigos do Brasil'. 
Artigo do jornalista Mauro Santayana, publicado no 'Jornal do Brasil', cobre uma lacuna na imprensa nacional e alerta para o que define como dois inimigos do Brasil: 
o interno, a corrupção; o externo, a recém criada Aliança do Pacífico.
Formada por Estados Unidos, México, Colômbia, Peru e Chile, a aliança tem o objetivo explícito de conter o que consideram "ascendente potência hegemônica ou neoimperial que é o Brasil".

Temos de reconhecer que temos com os Estados Unidos da América uma amizade história. Foram os EE.UU  o primeiro país do mundo a reconhecerem a independência do Brasil em 1822.
Todavia, o surgimento na região de figuras como Hugo Chávez, e sua explosiva parceria com o Irã dos aiatolás e o presidente Armadinejad que correm atrás da bomba atômica, trouxeram problemas para a região. Também contribui o apetite do Hugo Chávez na  influência junto a Evo Morales na Bolívia, Rafael Correia, no Equador e Daniel Ortega na Nicarágua, mas acima de tudo e principalmente estão de olho nas reservas de petróleo da região. Esses fatos certamente influenciaram os Estados Unidos ao decidir pela  reativação da Quarta Frota da Marinha dos Estados Unidos para proteger seus interesses nas águas da América Latina e do Caribe, é muito preocupante para o Brasil e região. 
Na Segunda Guerra Mundial 100 mil soldados foram enviados para o Brasil, de Belém a Salvador. Em Natal,  construíram uma gigantesca base aérea, que conheci ao lá servir  por seis meses.
Em 1893 concentraram cinco cruzadores, terço de sua frota na baía da Guanabara para derrotar a Revolta da Armada e em 1964, com a Operação Brother Sam um porta-aviões e seis contra-torpedeiros para ajudar a derrubar João Goulart. Ainda segundo denuncia Elio Gaspari em sua coluna de 06/07/08 em A Tribuna (Vitória-ES), p.52 relata” o estudo do professor John Coatsworth, da Universidade Columbia, ensina que, entre 1898 e 1994, os Estados Unidos ajudaram a derrubar 41 governos latino-americanos. As intervenções diretas foram 17”, Em 1864, por exemplo, durante a Guerra de Secessão, tivemos a primeira intervenção direta, com o seqüestro no porto de Salvador de um vapor dos confederados.
E é bom lembrarmos que as maiores reservs de petróleo do Brasil estão em águas profundas e na camada pré-sal,
E estão perto do limite das 200 milhas. E os americanos não são signatários de tratados que tornam esse respeito obrigatório


A 4ª frota dos Estados Unidos da América, será responsável pelo patrulhamento nas águas da América do Sul. Criada na Segunda Guerra Mundial, foi desativada há mais de 50 anos. “Tal frota hoje reaparece no cenário regional de paz como uma ameaça inexplicável à soberania das democracias sul-americanas. O que espera com isso o governo americano que não uma posição mais defensiva por parte do hemisfério? Iniciativas como o Conselho Sul-Americano de Defesa para salvaguarda do território regional, inclusive marítima, onde estão algumas das maiores reservas de petróleo do continente.”, denuncia o cientista político Marcelo Coutinho, fundados e Coordenador Executivo do Observatório Político Sul-Americano. 

E o Brasil possui 13% da água doce do mundo, Bacia Amazônica e Aqüífero Guarany que se estende por países vizinhos. ”A Amazônia brasileira é uma demasia de jazidas minerais, pedras preciosas, madeira de lei, plantas medicinais raríssimas. Ali está a maior floresta tropical do mundo Os rios do lugar compõem a maior das bacias fluviais, que concentra 20% da água doce disponível num planeta cada vez mais sedento do mundo”. Porquanto a área é rica em ouro, estanho, nióbio, manganês, cromo, ferro, diamante e potássio. E tudo isso está ameaçado. 


“De passagem pela cidade gaúcha de Rio Grande, Lula revelou-se preocupado com a presença militar dos EUA na costa marítima da América Latina. Referiu-se especificamente à Quarta Frota naval dos EUA, despachada para a região a pretexto de combater o narcotráfico e auxiliar em missões de paz.

Para Lula, os EUA podem estar de olho, veja você, no tesouro do pré-sal. Disse já ter inclusive manifestado sua preocupação ao próprio George Bush. "A Marinha joga um papel importante para proteger o nosso pré-sal, porque os homens já estão aí com a Quarta Frota quase em cima do pré-sal", disse Lula. Que acrescentou: "A nossa Marinha tem que ser a guardiã das nossas plataformas em alto-mar para fiscalizar esse patrimônio...”

“...Daqui a pouco chega um espertinho aí e fala: ‘Isso é meu, está no fundo do mar mesmo, ninguém sabe, isso é meu’."
Lula chegou mesmo a insinuar que, servindo-se de tecnologia ainda indisponível, forças alienígenas se aventurem a enfiar uma sonda no nosso pré-sal:
"Agora, tem uma sonda que fura verticalmente, depois vai na horizontal 5, 6 quilômetros. Nego, lá do país dele [Bush], vai tentar pegar o nosso petróleo aqui. Nós temos que tomar conta."

Considerando-se o histórico intervencionista dos EUA, o governo brasileiro faz bem em eriçar os cabelos com a presença a proximidade da Quarta Frota.” Escrito por Josias de Souza às 19h24 em 18/09/08


Leia neste Blog “AMAZÔNIA EM PERIGO” e
 “A GLOBALIZAÇÃO É NEOCOLONIALISMO”
                    

sábado, 9 de junho de 2012

CRIMES MACABROS: Casos Elize Matsunaga e Suzane Von Richthofen




Irmão de Suzane von Richthofen é internado após surto

Andreas von Richthofen foi flagrado pulando o muro de um imóvel e levado a um hospital da zona sul paulistana

Veja, 31/05/17
- Andreas Albert von Richthofen, de 29 anos, irmão de Suzane von Richthofen, foi internado nesta terça-feira no Hospital do Campo Limpo, na Zona Sul de São Paulo, após ser abordado por uma viatura da Polícia Militar enquanto tentava pular o muro de um imóvel. Segundo a PM, Andreas estava desorientado e seu comportamento indicava uso de drogas. Tinha as roupas rasgadas e ferimentos no corpo. O jovem deve ser transferido para um hospital psiquiátrico. De acordo com a secretaria de Saúde, Andreas foi levado ao hospital em razão do surto, mas não foi aberta nenhuma ocorrência criminal.

IRMÃO DE SUZANE DESABAFA
Doze anos após o assassinato dos pais, Andreas von Richthofen, irmão de Suzane, manifestou-se publicamente pela primeira vez. Formad



Suzane é presa por declarar endereço falso em saída temporária
José Maria Tomazela - O Estado de S.Paulo , 09 Maio 2016 

“Detenta condenada por matar os pais gozava do benefício pelo Dia das Mães e retornaria a Tremembé somente na terça-feira
SOROCABA - A detenta Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão por matar os pais, foi presa na noite deste domingo, 8, em Angatuba, no interior de São Paulo, e levada de volta para a Penitenciária Feminina de Tremembé. Ela gozava do benefício da saída temporária pelo Dia das Mães, mas não foi encontrada no endereço declarado à Justiça na cidade, na região de Itapetininga. No local, ninguém conhecia Suzane e ela nunca havia estado lá. Em buscas, os policiais localizaram a presa em um sítio, na zona rural. O caso foi revelado pelo programa Fantástico, da TV Globo.
Suzane foi levada à delegacia da Polícia Civil na cidade e, depois de passar por exames, transferida de viatura, sob escolta, para Tremembé, onde cumpre pena no regime semiaberto. Uma advogada da cidade acompanhou a prisão de Suzane.
Relembre momentos do caso RichthofenSérgio Castro/EstadãoIrmão de Suzane von Richthofen quebra silêncio de 12 anos
A detenta tinha saído da prisão com autorização da Justiça no último dia 4 e deveria retornar nesta terça-feira, 10. Como descumpriu a regra de informar endereço e nele permanecer, teve cancelado o benefício. Ela pode ainda ser punida com a volta para o regime fechado.
A defesa de Suzane, no entanto, informou que houve um equívoco na anotação do endereço e que tudo será explicado à Justiça.
Suzane von Richthofen foi condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais”

IRMÃO DE SUZANE DESABAFA

Doze anos após o assassinato dos pais, Andreas von Richthofen, irmão de Suzane, manifestou-se publicamente pela primeira vez. Formado em farmácia pela Universidade de São Paulo e doutor em química orgânica, o jovem de 27 anos concedeu uma breve declaração à Rádio Estadão. E encaminhou ao veículo uma carta em que questiona o promotor Nadir de Campos Júnior sobre declarações a respeito de seu pai. No texto, Andreas se refere à irmã como assassina e ao crime cometido por ela ao lado dos irmãos Christian e Daniel Cravinhos como "nojento" - em 2002, o trio executou o casal a pauladas na cama em que Manfred e Marísia von Richthofen dormiam.
A carta de Andreas, publicada na íntegra pelo site do jornal O Estado de S. Paulo, questiona Campos Júnior, um dos responsáveis pela condenação de Suzane, sobre declarações dadas pelo promotor a um programa de televisão. Na última segunda-feira, ele afirmou que Manfred tinha contas na Suíça para as quais enviava dinheiro desviado de obras do Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), empresa onde trabalhava. E que Suzane era beneficiária de tais contas. Disse, ainda, que esse dinheiro poderia ter motivado os assassinatos, uma vez que ela administraria as contas.
O irmão de Suzane se negou a responder perguntas e falou de sua vontade de deixar o país. "Aqui no Brasil o sobrenome von Richthofen tem um peso muito grande", disse.
Na carta ao promotor, Andreas questiona: "Gostaria que o senhor declarasse esta situação: se há contas no exterior, que o senhor apresente provas, pois eu também quero saber (...) Mas, que, se isso não passar de boatos maliciosos e não existirem provas, que o senhor se retrate e se cale a esse respeito, para não permitir que a baixeza e a crueldade deste crime manche erroneamente a reputação de pessoas que nem mais aqui estão para se defender. Meus pais: Manfred Albert e Marísia von Richthofen". E prossegue: "Entendo que sua raiva e indignação para com esses três assassinos seja imensa, e muito da sociedade compartilha esse sentimento. E eu também. É nojento". À Rádio Estadão, Andreas afirmou que se sente ferido toda vez que a imprensa divulga algo sobre o crime ou seus desdobramentos.
Fonte: http://veja.abril.com.br/ 06/03/15


Bomba: em 28/10/14, o jornal O Globo noticia que Suzane Vom Richthofen se casou com Sandra Regina Gomes, colega de cela, presa por ser sequestradora, ex-mulher de Elize Matsunagra...

Abri na tela do computador as fotos de Elize Matsunaga e de Suzane Von Richthofen e nada encontrei nos rostos que possam se desconfiar do que se esconde por trás das máscaras. Ambas têm cara de anjo. 
Psicopata: mente cruel em cara de anjo. Diz o adágio popular: Quem vê cara não vê coração.
Não existe uma maneira de perceber que uma pessoa é um psicopata. Isso é bem complicado. Mas é sempre bom desconfiar de pessoas que se apresentam de forma sedutora, com idéias mirabolantes, sempre muito agradáveis.

“Charmosos e simpáticos; mentirosos e manipuladores. Os psicopatas não se importam de passar por cima de tudo e de todos para alcançar seus objetivos. Egocêntricos e narcisistas, eles não sentem remorso, muito menos culpa. Se algo ou alguém ameaça seus planos, tornam-se agressivos. São mestres em inverter o jogo, colocando-se no papel de vítimas. E estão sempre conscientes de todos os seus atos, pois, diferentemente do que ocorre em outras doenças mentais, os psicopatas não entram em delírio”.
A psicopatia atinge cerca de 4% da população (3% de homens e 1% de mulheres), segundo a classificação americana de transtornos mentais. Sendo assim, um em cada 25 brasileiros enquadra-se nesse perfil. Mas isso não significa, é claro, que todos são assassinos em potencial, Diz estudos coordenados por diversos pesquisadores, entre eles o psicólogo americano Randall T. Salekin, da Universidade do Alabama, indicam que, de fato, é comum que os psicopatas recorram à violência física e sexual. No entanto, a maioria dos psicopatas não é violenta. Alguns pesquisadores acreditam até que muitos sejam bem-sucedidos profissionalmente e ocupem posições de destaque na política, nos negócios ou nas artes. 

E o psicólogo Leonardo Fd Araujo, especialista em psicologia clínica, fala mais sobre a psicopatia e os psicopatas: “ O egocentrismo, a ausência de culpa e remorso, o excesso de razão e inexistência de emoção são as principais características. Os psicopatas fingem e mentem muito bem, e forjam o afeto. Além disso, há os prejuízos sociais causados por esse tipo de transtorno mental, tais como agressões, estupros e assassinatos. É preciso ressaltar que o psicopata sente prazer em cometer o mal, em conseguir concretizar o que ele almeja. O falsário sente um extremo prazer ao conseguir enganar alguém, assim como o estuprador sente o mesmo ao cometer um estupro. Quando o mal está feito, ele não se culpa e ainda procura cometer outros crimes contra outras vítimas”, alerta. 

Diz ainda Araújo na entrevista ao portal Comunicação On-line: “O psicopata apresenta vários perfis. A grosso modo, existe o psicopata leve, moderado e grave. O psicopata leve é o conhecido “171”, aplica pequenos golpes e engana pessoas de bem. O moderado já se envolve de maneira mais contundente com as vítimas dos golpes, que quase sempre envolvem muitas pessoas e grandes somas em dinheiro. Já o psicopata grave, esse sim é o mais conhecido pelo público leigo. É o indivíduo que comete assassinatos a sangue frio, sejam em série ou não. Nos noticiários, infelizmente, volta e meia aparecem casos de assassinos e estupradores seriais, muitas vezes crimes com requintes de crueldade. O que os diferencia é a forma de agir. Uns sentem prazer no estupro, em torturar, outros em torturar e matar”. 

 “O psicopata já o é desde o nascimento. Mais cedo ou mais tarde, o transtorno pode ser deflagrado, em maior ou menor grau. Estudos demonstram que filhos de psicopatas têm cinco vezes mais chances de desenvolver o mesmo transtorno. Sabemos que todo transtorno mental tem causas biológicas, psíquicas e sociais. Uma criança filha de psicopata, que sofreu abuso e violência, tem ainda mais chances de desenvolver o transtorno. Um jovem pode desde cedo começar a demonstrar os primeiros sinais de que há algo errado. Por volta dos 15 anos pode apresentar os primeiros sinais de transtorno de conduta e se não tratado, pode evoluir para a psicopatia, conclui o psicólogo Leonardo Fd Araujo

Descrita pela primeira vez em 1941 pelo psiquiatra americano Hervey M. Cleckley, do Medical College da Geórgia, a psicopatia consiste num conjunto de comportamentos e traços de personalidade específicos. Encantadoras à primeira vista, essas pessoas geralmente causam boa impressão e são tidas como “normais” pelos que as conhecem superficialmente. No entanto, costumam ser egocêntricas, desonestas e indignas de confiança. Com freqüência adotam comportamentos irresponsáveis sem razão aparente, exceto pelo fato de se divertirem com o sofrimento alheio. Os psicopatas não sentem culpa. Nos relacionamentos amorosos são insensíveis e detestam compromisso. Sempre têm desculpas para seus descuidos, em geral culpando outras pessoas. Raramente aprendem com seus erros ou conseguem frear impulsos.

PIVÔ DA TRAGÉDIA

A mulher flagrada em imagens com Marcos Matsunaga, diretor-executivo da Yoki Alimentos, um dia antes de ele ser morto e esquartejado, pivô da crise disse em depoimento à polícia que recebeu R$ 27 mil de mesada do empresário pelos ‘serviços exclusivos de acompanhante’. A mulher, que em site de garotas de programa se identificava como Natália, de acordo com Elize, teria sido o motivo da briga do casal, que terminou em tragédia no interior de São Paulo que abalou o País. As imagens de Marcos com Natália foram feitas por um detetive contratado por Elize. Caso Yoki:  Elize Matsunaga era Kelly no mesmo  site de acompanhantes em que Natália, 23 anos, era Lara.

“Sou uma loirinha muito carinhosa. Você não vai se arrepender”. Segundo o site do Extra, com essas palavras e produção digna de revista masculina, Elize Araújo, de 30 anos, a garota de programa que atendia por Kelly, conquistou a atenção do empresário Marcos Kitano Matsunaga, de 40 anos, diretor-executivo e neto do fundador da indústria de alimentos Yoki, no anúncio de um site de prostitutas de luxo, em 2004. O empresário se separou da primeira mulher, com quem tinha uma filha, e em 2009 se casou com Elize. Quase três anos depois, em 19 de maio, ao descobrir que estava sendo traída, ela matou e esquartejou o marido.

No depoimento de quatro páginas, ao qual o Jornal Nacional teve acesso e exibiu os principais trechos ontem, Natália, (codinome Lara, 23 anos) diz que conheceu Marcos em 13 de fevereiro e que passou a se encontrar com ele duas vezes por semana, recebendo R$ 4 mil por mês pelos ‘serviços’. Com apenas quatro meses de relacionamento, Marcos também presenteou a amante com uma caminhonete Mitsubishi Pajero TR-4, o mesmo modelo de veículo que havia dado a Elize, avaliado em cerca de 80 mil reais e aumentou a mesada de  R$ 4 para R$ 27 mil, para tirar a foto do site e ter exclusividade.
Elize morava num apartamento de cobertura de 500m2, em bairro nobre de São Paulo, avaliado em mais de R$ 6 milhões, carro blindado, três empregadas e dinheiro para gastar como quisesse e hoje está presa num presídio em pequena cela e sem nenhuma mordomia. A Elize foi o pivô da destruição do casamento do Marcos que deixou a esposa com uma filha pequena e sabia bem que ele tinha uma vida desregrada e não deveria estranhar que ele estivesse se relacionando com  prostituta, sua tara sexual poderia ter se separado e ficaria rica e bonita como é, logo teria nova companhia, mas o monstro que estava nas profundezas acordou. 


CIÚME E DINHEIRO, AS MOTIVAÇÕES DO CRIME
 Marcos fez um seguro no valor de R$ 600 mil tendo Elize como única beneficiária e outro de grande valor para sua filha. Ela ficaria bem de vida com a morte do marido.
O corpo de Marcos foi dividido em cinco partes e espalhados, dentro de sacos de lixo, ao longo de uma estrada. Dois dias após o assassinato, munida das gravações do marido com a amante, feitas pelo detetive contratado, levou pessoalmente para os sogros informando que ele havia saído de casa para ficar com a amante e usando um computador de terceiros, passou e-mail para a Yoki Alimentos informando que o Marcos estava bem.E fez tudo isso sozinha! Obra de Satanás, dizem os religiosos!
  
Por que amor, ciúme e morte andam juntos?

Sobrinho é suspeito de esquartejar família brasileira na Espanha


Os corpos dos quatro membros da família brasileira foram encontrados esquartejados no dia 18 de setembro
Janaína Santos Américo, Marcos Campos Nogueira e os dois filhos foram encontrados esquartejados neste domingo em um povoado da Espanha.
O suspeito de assassinar o casal brasileiro e seus dois filhos pequenos na Espanha é um sobrinho do homem morto. Segundo o jornal espanhol El País, trata-se de Patrick Gouveia, uma pessoa de caráter “violento” e “emocionalmente instável” que tinha convivido com a família anteriormente.
Os corpos do casal Marcos Nogueira e Janaína Santos Américo e dos filhos de 1 e 4 anos foram descobertos esquartejados no dia 18 de setembro em Pioz, a 60 quilômetros de Guadalajara, na Espanha. No dia seguinte, o suspeito antecipou sua passagem de volta para o Brasil, que estava marcada para novembro. Em 22 de setembro, a Justiça espanhola expediu um auto de prisão e uma ordem de detenção europeia e internacional contra ele.
O sobrinho, que atualmente está foragido, era o principal suspeito para os investigadores da Guarda Civil Espanhola que trabalham no caso. Ele estaria obcecado por Janaína, esposa de seu tio.
O ministro de Interior da Espanha, Jorge Fernández Díaz, deu por “esclarecido” hoje o quádruplo assassinato e descartou a possibilidade de que os crimes tenham relação com o tráfico de drogas ou o crime organizado.
O suposto assassino, que tem menos de 20 anos, conviveu durante algum tempo em Madri com a família, que havia se mudado para o povoado de Pioz justamente para se afastar da personalidade violenta do sobrinho.
A ideia do rapaz, que tem um histórico de violência no Brasil e agiu por motivações pessoais, era transferir os corpos para algum lugar e sugerir um desaparecimento, plano que por motivos ainda não esclarecidos ele não conseguiu realizar.
A família, que originalmente é de João Pessoa (PB), foi morta à noite. Depois do crime, o suspeito esquartejou os corpos do casal e os colocou em sacolas, encontradas dias depois, quando vizinhos alertaram a polícia sobre o odor nas imediações da casa. Segundo a perícia, o assassino teve muito cuidado para limpar a residência e não deixar rastros. 

Especialistas explicam o comportamento de pessoas que assassinam companheiros.

O assassinato do empresário Marcos Kitano Matsunaga, de 41 anos, chama a atenção não apenas pela brutalidade, mas também por uma característica recorrente na crônica policial: o crime passional. Na quarta-feira, em depoimento à polícia, Elize Kitano Matsunaga, de 30 anos, mulher do ex-diretor executivo da Yoki Alimentos, confessou a autoria do assassinato e que a motivação, segundo ela, foi a infidelidade por parte do marido. Elize disse que, na noite do crime, disparou a pistola contra Marcos depois de os dois discutirem por causa das traições dele. Em seguida, ela arrastou o corpo para o quarto de hóspedes, onde o esquartejou.
“Mas o que leva alguém à decisão extrema de matar uma pessoa com quem mantém ou manteve um relacionamento afetivo? Para especialistas ouvidos pelo site de VEJA, não é possível estabelecer um padrão de comportamento que explique todos os casos. Entretanto, há, sim, uma característica comum nos episódios: os crimes são motivados por sentimentos como ciúmes, insegurança e necessidade de posse elevados à potência máxima”.
“Para o psiquiatra forense Guido Palomba, a maneira de lidar com esses sentimentos exacerbados é o que diferencia o comportamento considerado normal de outro propenso à execução de atos extremos, como um assassinato. “Todos nós sentimos ciúmes, mas ponderamos nossas atitudes de acordo com nossos valores morais e éticos”, afirma Palomba. “Algumas pessoas, entretanto, possuem estrutura psicológica mais frágil e têm mais dificuldades para lidar com frustações e normalmente julgam que têm poder ilimitado sobre outras pessoas. Em certas circunstâncias, cometem o delito."
“De acordo com Palomba, o ciúme extremo pode levar a quadros patológicos. Para evitá-los, é necessário atenção aos sinais apresentados pelo parceiro. “Há sempre indicadores, como o controle excessivo. Quando aparecem as ameaças e as agressões propriamente, o caso é realmente sério”, afirma o psiquiatra.
“Já na opinião de Daniel Martins de Barros, psiquiatra do Núcleo de Psiquiatria Forense do Hospital das Clínicas (HC-SP), a hipótese de patologia não pode reduzir a responsabilidade do criminoso por seus atos. “O ser humano é um ser racional e nossos afetos são subordinados à razão”, afirma Barros. “A paixão não exclui a responsabilidade do ser apaixonado, que deve responder criminalmente por seus atos, se for o caso. Hoje, não se aceita mais o argumento do ciúme extremo como explicação para um crime desse tipo, o que revela amadurecimento da própria sociedade”.



O QUE DIZEM OS INTERNAUTAS
Eis alguns comentários no site http://veja.abril.com.br:

PATRICIA, diz: Que isso sirva de lição para homens safados e traidores q acham q a mulher sempre vai aceitar suas traições. Homem pode fazer tudo e mulher nada.
Augusto, diz: Que guria boba, nova, bonita e tonta... poderia ter se divorciado do marido alegando infelicidade, contratar um advogado e um especialista para pegar o maridão no flagra e ainda por cima iria sair com a grana toda do Yoki.... mas como foi tonta... agora vai parar na cadeia e acabou com a sua vida e a da filha...
Luiz Filipe Relacionamento só e serio e verdadeiro, quando ambos se ama, respeita e sonha o mesmo futuro, caso contrario não e amor é conseguente mente se torna tragedia se a pessoa não tiver cabeça para intender que aquela união não existe mais ou nunca existiu como o psicologo explico na reportagem.
Wellington Alves Em qualquer relacionamento afetivo o que vale além do amor é a cumplicidade dos amantes, o respeito e sobretudo a responsabilidade de um para com o outro. Se você gosta de alguém você não dar motivos para ciúmes e sempre procurar conversar sobre este assunto e outros de interesse do casal.O que não pode é confundir egoísmo, (..)
Observador diz: Essa senhora tem uma patologia grave. O medo da rejeição e abandono a levou a matar. Solta, em uma nova relação ela fere ou mata de novo. Boderline grave. Transtorno de personalidade com agressividade.
ANTONIO: BEM, ESSE TIPO DE CRIME A GENTE TEM VISTO COM MAIOR FREQUENCIA QUANDO A MULHER TEM UM CASO EXTRA- CONJUGAL E QUER SE LIVRAR DO MARIDO PARA FICAR COM AQUELE POR QUEM SE APAIXONOU.
Prisca: Paixão, fúria, ódio e ressentimento sim. Mas AMOR, jamais! A força desse estado de espírito é capaz de superar os maiores dissabores. Um crime macabro desse realmente teria uma explicação consistente na mentalidade e personalidade dessa criminosa. Ela já havia matado esse homem antes de se casar com ele. Alimentou a morte de (..)
FERNANDO: FIQUEM TRANQUILOS: A MÍDIA FEMINISTA IRÁ SE APRESSAR EM CULPAR O MORTO E ABSOLVER A ELIZE. APOSTO DINHEIRO QUE ELA SERÁ ABSOLVIDA.
jaime rosa, Bem a alegação de mulher traída faz com que esta senhora de repente não perca a herança, pois segundo o código civil....
Vilmara S Fernandes, diz: Uma pessoa em seu consciente normal não é capaz de matar,porém o ciúmes com o ódio corroí o ser a ponto de se destruir e destruir quem estar ao seu lado.Sabemos que é difícil aceitar a traição ,mas não temos o direito de tirar a vida de ninguém.Deus deu a vida é só ele pode tira-la as demais pessoas que praticam esse ato são (..)
Aline: deixar este monstro na prisão até o ultimo suspiro, imagine alguém disse que ama tem filho e assassina o pai de seu filho, essa mulher não e ser humano por mais que entenda psique o ciúme não fundamenta o crime doloso com ocultação de cadáver, tenho absoluta certeza que o Dr Flavio D´urso, ira levar a júri popular ser condena(..)
aldo soares: É isso, a impunidade, que grassa no país bonzinho pra bandido. Crimes estarrecedores horrendos difíceis até de descrever: pena, 30 anos de mentirinha; aí vem os "terços": 10 anos rua; e ainda por cima por bom comportamento como acontece com estupradores, soltos e que voltam e fazer mais vítimas. Enquanto isso... a secretar(..)
Ana: E o caso Nardoni? Esse chocou muito também, principalmente por não haver uma confissão e nem testemunhas.
Clotilde Esta faltando amor de Deus, as pessoas que dizem que amam,não amam sentem posse delas...independente homens ou mulhers ninguem tem o direito de tirar a vida de ninguém, amar é deixar o outro livre...mesmo que isso tenha que ser um para cada lado.
Filintro Almeida: O Amor não arde em ciúmes, não se ensorbebece, não trata com leviandade, não suspeita mal, o AMOR suporta tudo. Paixão,sentimento de posse, isso sim mata, destrói.
Ricardoo, diz: ser humano e dotado de ódio e amor.tudo depende da índole da pessoa.esta mulher casou com interesses financeiros.nunca deve ter gostado dele. conviveu com ele a duras penas, sempre desejando matá-lo.
Maria Alice: Eu acredito q uma pessoa q mata esta perturbado, transtornado, descontrolado, etc., mas quem mata e tem o trabalho de esquartejar é frio, calculista e Quem mata está transtornado, fora de si, perturbado com os sentimentos, mas quem mata e esquarteja é um doente mental, frio e calculista e não ama ninguém
Ana Lúcia: tirei essas palavras do livro Ágape do padre Marcelo Rossi A inteligência sem amor te faz perverso.a simplicidade sem amor te faz tirano. ninguém nasce odiando outra pessoa ou por sua origem,ou sua religião o ódio e uma forma mesquinha de resolver os conflitos. a inveja,o orgulho,a prepotência,o desrespeito, a injustiça (..)

MARCOS MATSUNAGA, PADRÃO DE COMPORTAMENTO
O surgimento de outra prostituta no enredo do Caso Yoki demonstra um padrão de comportamento por parte da vítima, o empresário Marcos Kitano Matsunaga, assassinado e esquartejado no dia 19 de maio pela mulher, Elize Araújo Matsunaga. A morena foi flagrada nas imagens gravadas por um detetive particular contratado por Elize e teria sido o pivô da discussão que resultou no assassinato de Matsunaga por Elize.O mais curioso é que, antes de morrer, Marcos parecia reproduzir com a nova amante a mesma  história que havia vivido com Elize, quando a conheceu em 2004. Assim como Elize, a cearense de 23 anos identificada apenas como Natália também é garota de programa.  E assim como Elize, a morena também foi contatada pelo ex-executivo da Yoki graças a um anúncio no site http://www.mclasse.com.br/, usado por garotas de programa para anunciar seu serviços. Natália confirmou que o empresário passou a se encontrar frequentemente com ela, oferecendo-lhe, desde fevereiro, uma mesada de 4 000 reais - exatamente como fizera com Elize quando ainda era casado com sua primeira esposa. Com apenas três meses de relacionamento, já levou Natália para conhecer a fábrica da Yoki, onde a apresentou como compradora de amendoim. O Marcos era assim imprudente. Era o canto do cisne, pois a Yoki foi vendida a um grupo americano.

Tiro não causou morte de Marcos Matsunaga, garante o advogado Luiz Flávio D’Urso

Em reportagem publicada em O GLOBO de 13/06/12, do jornalista Leonardo Guandeline:  “O advogado Luiz Flávio Borges D’Urso, contratado pela família do empresário Marcos Kitano Matsunaga, diretor executivo e neto do fundador da indústria de alimentos Yoki, disse que a causa mortis do executivo foi traumatismo craniano associado a asfixia por sangue em consequência de uma decapitação, e não o tiro de pistola calibre 380 disparado pela técnica em enfermagem e bacharel em direito Elize Araújo Matsunaga, que confessou a morte e o esquartejamento do marido. D’Urso teve acesso ao laudo necroscópico do Instituto Médico Legal (IML), que também indica que o tiro disparado contra Marcos pela mulher foi dado à curta distância, e de cima para baixo, o que não sustentaria a versão de Elize dada à polícia, já que a vítima estaria sentada – Elize é mais baixa que o empresário e disse que atirou após ser agredida e humilhada pelo marido, durante uma discussão do casal.
D’Urso acredita que Elize alvejou o marido e depois o decapitou, causando a morte por asfixia. Na confissão, Elize disse que esquartejou o marido somente dez horas após o tiro. Apesar da Polícia Civil ter relatado o inquérito à Justiça nesta quinta-feira, as investigações continuam, garantiu o advogado, que acredita em premeditação e até na suposta participação de uma terceira pessoa no crime.
- Tivemos uma reviravolta agora à tarde. A versão da Elize não se sustenta. O tiro partiu de cima para baixo, como se ele (Marcos) estivesse sentado. Além disso, não foi o tiro que causou a morte dele, conforme divulgado ontem, e sim asfixia por sangue em consequência de uma decapitação. E esse sangue o asfixiou, levando o Marcos à morte – disse D’Urso”.

Caso Elize Araújo Matsunaga, 30 anos, disse ter matado e esquartejado o marido, em 19/0512, o executivo Marcos Kitano Matsunaga, 41 anos, porque foi ameaçada por ele de perder a guarda em uma possível separação do casal, segundo a defesa. Elize tem origem muito humilde e nasceu em Chopinzinho, cidade que fica a 400 km de Curitiba, no Paraná, onde morava com a mãe e o padrasto, de onde saiu aos 18 anos para morar em Curitiba.
 “Uma garota de programa conhecida como Natália afirmou à polícia de São Paulo que esteve com o executivo da Yoki Marcos Matsunaga, 41, nos três últimos dias antes da morte dele, em maio. Ela disse, ainda, que o relacionamento com ele começou no início do ano e que ele lhe deu um carro de presente.
A informação é da reportagem de Rogério Pagnan e Josmar Jozino publicada na edição desta segunda-feira da Folha de São Paulo (11/06/12). A polícia chegou a Natália por meio do detetive contratado por Elize para investigar a infidelidade do marido. Matsunaga conheceu Natália, uma morena de 23 anos, cearense, no mesmo site de relacionamento em que conheceu Elize há alguns anos”.
Após atirar no marido, Elize -- que é bacharel em direito e tem formação técnica em enfermagem -- disse que esperou cerca de dez horas o corpo esfriar para evitar um sangramento maior da vítima. E na presença de seu advogado, Luciano Santoro, Elize contou que demorou cerca de quatro horas para esquartejar o marido. Conhecedora de anatomia, a mulher sabia que era o tempo suficiente para que adquirisse rigidez cadavérica, eliminando pouco sangue quando fosse cortado.  Depois, limpou o banheiro para evitar rastros. Colocou o corpo em sacos plásticos dentro de três malas e as jogou em um terreno baldio em Cotia, na Grande São Paulo. Ela afirmou também que se desfez do corpo no mesmo dia --disse que costumava passar pela região a caminho de um sítio em Ibiúna. A filha do casal, de um ano, estava no apartamento na hora do crime. O trauma que essa criança terá ao saber da tragédia envolvendo os pais...
.                                  ***
Caso Suzane Louise Von Richthofen. Filha de uma psiquiatra, a mãe nunca suspeitou que tinha em casa uma psicopata da maior periculosidade.
Em 2002, também em São Paulo, Suzane contratou os irmãos Cravinhos (um deles era seu namorado) para matar seus pais a pauladas, com ela ouvindo os gritos na parte de baixo da casa. Seus pais Manfred Albert Freiherr von Richthofen (engenheiro) e sua mãe Marísia von Richthofen (psiquiatra) foram mortos na cama em que dormiam no dia 31 de outubro de 2002. Suzane foidescrita pelo delegado Domingos de Paulo Neto, que dirigia o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa de São Paulo quando do duplo assassinato: "Ela é fria, calculista e impetuosa".

Motivação Suzane afirma que seus pais não aceitavam o namoro e a impediam de ver o rapaz. Além disso, existia um suposto interesse na herança (que Suzane agora nega) e uma suposta manipulação dela exercida por Daniel Cravinhos - que diz ter ocorrido justamente o oposto: fora ela que jurou seus pais de morte antes desse atentado cometido por ela.

Acusação O promotor Roberto Tardelli esperava que Suzane von Richthofen e os irmãos Daniel e Christian Cravinhos fossem sentenciados a 50 anos de prisão cada um. Suzane, seu namorado Daniel e o irmão dele, Christian Cravinhos, confessaram ter matado os pais dela, a "golpes de pau", na casa em que a família vivia e foram denunciados pelo Ministério Público por crime de duplo homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima; e fraude processual, por terem alterado a cena do crime.

VEJA NESTE BLOG o texto: "OS QUE FRACASSAM AO TRIUNFAR"