domingo, 11 de outubro de 2009

CRISTIANISMO, JUDAÍSMO, ISLAMISMO E A TERRA SANTA

CRISTIANISMO, JUDAÍSMO, ISLAMISMO E A TERRA SANTA
Por que a Bíblia e o nome de Cristo foram usados pelos católicos para promoverem a Inquisição e as Cruzadas? Por que Israel usa a Torá e o Talmude, Jeová e Javé para fazerem o que fazem com os palestinos? E que os muçulmanos usem o Alcorão e o nome de Alá para matarem inocentes nos atentados? O Cristianismo, judaísmo e islamismo têm a mesma origem e têm mais pontos em comum do que o leitor imagina; as três religiões têm muitos profetas e um só Deus. Adão, Noé, Abraão, Jacó, José e Moisés estão nas três religiões, e Maomé, é o profeta do Islã. Jesus é muito reverenciado nas suras do Alcorão, onde é citado como “Jesus, o filho de Maria”, “o Messias”, “a palavra de Deus”, “um espírito de Deus”, “o Mensageiro de Deus”, “um espírito de Deus”, “ilustre nesse mundo e no próximo”, etc. e só Maomé é mais reverenciado no Alcorão. Por isso a Terra Santa é sagrada para as três religiões. Abraão, por exemplo, é figura central, patriarca e pai do judaísmo, cristianismo e islamismo.
SUNITAS E XIITAS: com a morte de Maomé, duas versões surgiram e o islamismo dividiu-se em Sunitas: para os que acreditavam que Maomé ao morrer indicou Abu Bacre, pai de Ayiushah, que era a esposa mais querida para seu sucessor, e Xiitas, para os acreditaram que Maomé ao morrer indicou seu primo Ali, pai de Fátima, uma de suas esposas (Maomé tinha 10 esposas) e seus netos Hasan e Hussein como seus sucessores, e isso é a origem de toda essa violência e o terror que avassala até nossos dias.
Tanto os Evangelhos dos cristãos, como o Alcorão dos islâmicos (Islã quer dizer submissão) e a Torá dos judeus pregam a paz e não se justifica matar em nome de Deus. E para se visitar a Terra Santa cada visitante tem de pagar m/m R$ 600,00 de taxa de segurança...
Ali Kamel, é um brasileiro de origem árabe, filho de pai e avô mater­no muçulmanos nascidos na Síria, (a avô materna é baiana, devota de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro) e a mãe também é católica e devota de Cosme e Damião porque Ali Kamel (que é diretor da Rede Globo) é gêmeo, e se casou com uma judia de família praticante. O autor do livro “SOBRE O ISLÔ (Editora Nova Fronteira), que recomendo, tem no seio da própria família as três religiões monoteístas e trata neste livro da afinidade entre muçulmanos judeus e cristãos e as origens do terrorismo. O Pentateuco (a Torá dos Judeus e parte do Antigo Testemunho dos cristãos) e do Novo Testamento foram extraídas da Bíblia de Jerusalém.
Por que três tradições que têm uma origem comum, são tão próxi­mas, se vêem tão distantes? Por isso, minha esposa e o autor deste livro, num grupo de 35 pessoas e pela New Age Turismo, fomos conhecer a Terra Santa, e com os próprios olhos, sentir a vibração de ver todos esses lugares sagrados, como:
Em JERUSALEM: o Horto de Getsemani, a Basílica da Agonia, e o Muro das Lamentações. Em Ein Karem para conhecer o lugar de nasci­mento de São João Batista, o Museu do Holocausto e a Cidade velha de Jerusalém, a Esplanada do Templo, as 14 estações da Via Dolorosa, a Igreja da Flagelação, a Capela da Condenação, o Calvário e o Santo Sepulcro, o bairro Judaico e o Cardo Romano, o Museu da Cidadela e a Torre de Davi, a Cidade Nova: a Kneset (Parlamento), a Residência Presidencial, o Teatro Municipal. Visita ao Museu de Israel onde se encontra o Santuário do Livro e a Maquete de Jerusalém da época de Jesus e Massada, conhecer as principais mesquitas, sinagogas e templos cristãos, inclusive o de Canaan e, com tristeza, ver o muro construído por Israel para se separar dos palestinos.
Em BELÉM: Basílica da Natividade, a Gruta de São Jerônimo e a Igreja de Santa Catalina.
Na GALILÉIA: Vale do Jordão até Jericó. Visita panorâmica pela cidade e do Monte da Tentação. Continuação através do deserto até Jerusalém. Continuação pelo Vale do Jordão até Nazaré para visitar a Basílica da Anunciação, a carpintaria de São José e a Fonte da Virgem. Visita a Yar­denit, parada no Rio Jordão, lugar do batismo de Jesus. Continuação até Capernaum para visitar a antiga sinagoga e a casa de São Pedro. Saída até Tabgha, lugar do milagre da Multiplicação dos pães e dos peixes, e logo, ao Monte das Bem Aventuranças, lugar do Sermão da Montanha.
Em HAIFA: Santuário da Fé Bahai e os Jardins Persas. Visita panorâmica desde o alto do Monte Carmel e visita ao Mosteiro Carmelita. Saída até Cesárea para visita ao Teatro Romano, Cidade Cruzada e o Aqueduto.
Em TEL AVIV: Conhecer um kibutz e suas diferentes instalações, a Safed, São João de Acre e as fortificações medievais.
E em JAFFA: Bairro dos Artistas e o Mosteiro de São Pedro. Visita panorâmica dos principais pontos de interesse da cidade: Rua Dizengo­, o Palácio da Cultura, o Museu de Tel Aviv, a Praça Yitzhak Rabin, o Mercado Carmel, e o famoso Museu da Diáspora.

A Terra Santa é sagrada para as três religiões, e têm Abraão como patriarca e fundador dessas religiões. O Cristianismo, judaísmo e islamis­mo têm a mesma origem e têm mais pontos em comum do que o leitor imagina; as três religiões têm muitos profetas e um só Deus. Adão, Noé, Abraão, Jacó, José e Moisés estão nas três religiões, e Maomé, é o profeta do Islã. O Templo da Rocha em Jerusalém, tem a cúpula dourado. Os mulçumanos proibiram desde 2001 a visita dos turistas, e são reservadas somente para celebrações religiosas.
Tanto nas sinagogas como nas mesquitas, as mulheres ficam separadas dos homens, e até no Muro das Lamentações é assim. Em Safed, cidade da Cabala e do misticismo judaico, tivemos a sorte de ver uma procissão em direção a uma sinagoga para a iniciação religiosa de dois garotos de 13 anos (as meninas são aos 12 anos), tendo acima de suas cabeças uma espécie de manto suspenso por quatro pessoas da família, com uma vara em cada ponta do manto. Um trio tocava uma música muito alegre, com um tocando violão e cantando, um tocando clarinete e outro com um tambor cerimonial. Um dos garotos irradiava no semblante uma felicidade que não consigo esquecer.
Trata-se de uma região de grande valor estratégico, pois é ponto de passagem para três continentes: Europa, Ásia e África, e para as maiores reservas de petróleo do mundo. Jaffa, que tem 4.000 anos, por exem­plo, foi invadida e destruída 14 vezes... O conquistador que demorou menos ficou na área por mais de 100 anos. Napoleão invadiu a cidade para conquistar o Egito, mas logo se retirou porque a tropa ficou doente.
Consta nas Professias de Nostradamus (1.503/1.566) que a batalha do Armagedom  (um vale ao lado do Monte Carmel em Israel, perto do Iraque), marcará o final dos tempos, e o “Livro das Revelações” das Bíblia tem um texto fantástico e confuso de São João, dizendo que surgirão as figuras sinistras de Gog e Magog e os quatro cavaleiros do Apocalipse: morte, fome, peste e guerra.