sábado, 9 de junho de 2012

CRIMES MACABROS: Casos Elize Matsunaga e Suzane Von Richthofen




Irmão de Suzane von Richthofen é internado após surto

Andreas von Richthofen foi flagrado pulando o muro de um imóvel e levado a um hospital da zona sul paulistana

Veja, 31/05/17
- Andreas Albert von Richthofen, de 29 anos, irmão de Suzane von Richthofen, foi internado nesta terça-feira no Hospital do Campo Limpo, na Zona Sul de São Paulo, após ser abordado por uma viatura da Polícia Militar enquanto tentava pular o muro de um imóvel. Segundo a PM, Andreas estava desorientado e seu comportamento indicava uso de drogas. Tinha as roupas rasgadas e ferimentos no corpo. O jovem deve ser transferido para um hospital psiquiátrico. De acordo com a secretaria de Saúde, Andreas foi levado ao hospital em razão do surto, mas não foi aberta nenhuma ocorrência criminal.

IRMÃO DE SUZANE DESABAFA
Doze anos após o assassinato dos pais, Andreas von Richthofen, irmão de Suzane, manifestou-se publicamente pela primeira vez. Formad



Suzane é presa por declarar endereço falso em saída temporária
José Maria Tomazela - O Estado de S.Paulo , 09 Maio 2016 

“Detenta condenada por matar os pais gozava do benefício pelo Dia das Mães e retornaria a Tremembé somente na terça-feira
SOROCABA - A detenta Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão por matar os pais, foi presa na noite deste domingo, 8, em Angatuba, no interior de São Paulo, e levada de volta para a Penitenciária Feminina de Tremembé. Ela gozava do benefício da saída temporária pelo Dia das Mães, mas não foi encontrada no endereço declarado à Justiça na cidade, na região de Itapetininga. No local, ninguém conhecia Suzane e ela nunca havia estado lá. Em buscas, os policiais localizaram a presa em um sítio, na zona rural. O caso foi revelado pelo programa Fantástico, da TV Globo.
Suzane foi levada à delegacia da Polícia Civil na cidade e, depois de passar por exames, transferida de viatura, sob escolta, para Tremembé, onde cumpre pena no regime semiaberto. Uma advogada da cidade acompanhou a prisão de Suzane.
Relembre momentos do caso RichthofenSérgio Castro/EstadãoIrmão de Suzane von Richthofen quebra silêncio de 12 anos
A detenta tinha saído da prisão com autorização da Justiça no último dia 4 e deveria retornar nesta terça-feira, 10. Como descumpriu a regra de informar endereço e nele permanecer, teve cancelado o benefício. Ela pode ainda ser punida com a volta para o regime fechado.
A defesa de Suzane, no entanto, informou que houve um equívoco na anotação do endereço e que tudo será explicado à Justiça.
Suzane von Richthofen foi condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais”

IRMÃO DE SUZANE DESABAFA

Doze anos após o assassinato dos pais, Andreas von Richthofen, irmão de Suzane, manifestou-se publicamente pela primeira vez. Formado em farmácia pela Universidade de São Paulo e doutor em química orgânica, o jovem de 27 anos concedeu uma breve declaração à Rádio Estadão. E encaminhou ao veículo uma carta em que questiona o promotor Nadir de Campos Júnior sobre declarações a respeito de seu pai. No texto, Andreas se refere à irmã como assassina e ao crime cometido por ela ao lado dos irmãos Christian e Daniel Cravinhos como "nojento" - em 2002, o trio executou o casal a pauladas na cama em que Manfred e Marísia von Richthofen dormiam.
A carta de Andreas, publicada na íntegra pelo site do jornal O Estado de S. Paulo, questiona Campos Júnior, um dos responsáveis pela condenação de Suzane, sobre declarações dadas pelo promotor a um programa de televisão. Na última segunda-feira, ele afirmou que Manfred tinha contas na Suíça para as quais enviava dinheiro desviado de obras do Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), empresa onde trabalhava. E que Suzane era beneficiária de tais contas. Disse, ainda, que esse dinheiro poderia ter motivado os assassinatos, uma vez que ela administraria as contas.
O irmão de Suzane se negou a responder perguntas e falou de sua vontade de deixar o país. "Aqui no Brasil o sobrenome von Richthofen tem um peso muito grande", disse.
Na carta ao promotor, Andreas questiona: "Gostaria que o senhor declarasse esta situação: se há contas no exterior, que o senhor apresente provas, pois eu também quero saber (...) Mas, que, se isso não passar de boatos maliciosos e não existirem provas, que o senhor se retrate e se cale a esse respeito, para não permitir que a baixeza e a crueldade deste crime manche erroneamente a reputação de pessoas que nem mais aqui estão para se defender. Meus pais: Manfred Albert e Marísia von Richthofen". E prossegue: "Entendo que sua raiva e indignação para com esses três assassinos seja imensa, e muito da sociedade compartilha esse sentimento. E eu também. É nojento". À Rádio Estadão, Andreas afirmou que se sente ferido toda vez que a imprensa divulga algo sobre o crime ou seus desdobramentos.
Fonte: http://veja.abril.com.br/ 06/03/15


Bomba: em 28/10/14, o jornal O Globo noticia que Suzane Vom Richthofen se casou com Sandra Regina Gomes, colega de cela, presa por ser sequestradora, ex-mulher de Elize Matsunagra...

Abri na tela do computador as fotos de Elize Matsunaga e de Suzane Von Richthofen e nada encontrei nos rostos que possam se desconfiar do que se esconde por trás das máscaras. Ambas têm cara de anjo. 
Psicopata: mente cruel em cara de anjo. Diz o adágio popular: Quem vê cara não vê coração.
Não existe uma maneira de perceber que uma pessoa é um psicopata. Isso é bem complicado. Mas é sempre bom desconfiar de pessoas que se apresentam de forma sedutora, com idéias mirabolantes, sempre muito agradáveis.

“Charmosos e simpáticos; mentirosos e manipuladores. Os psicopatas não se importam de passar por cima de tudo e de todos para alcançar seus objetivos. Egocêntricos e narcisistas, eles não sentem remorso, muito menos culpa. Se algo ou alguém ameaça seus planos, tornam-se agressivos. São mestres em inverter o jogo, colocando-se no papel de vítimas. E estão sempre conscientes de todos os seus atos, pois, diferentemente do que ocorre em outras doenças mentais, os psicopatas não entram em delírio”.
A psicopatia atinge cerca de 4% da população (3% de homens e 1% de mulheres), segundo a classificação americana de transtornos mentais. Sendo assim, um em cada 25 brasileiros enquadra-se nesse perfil. Mas isso não significa, é claro, que todos são assassinos em potencial, Diz estudos coordenados por diversos pesquisadores, entre eles o psicólogo americano Randall T. Salekin, da Universidade do Alabama, indicam que, de fato, é comum que os psicopatas recorram à violência física e sexual. No entanto, a maioria dos psicopatas não é violenta. Alguns pesquisadores acreditam até que muitos sejam bem-sucedidos profissionalmente e ocupem posições de destaque na política, nos negócios ou nas artes. 

E o psicólogo Leonardo Fd Araujo, especialista em psicologia clínica, fala mais sobre a psicopatia e os psicopatas: “ O egocentrismo, a ausência de culpa e remorso, o excesso de razão e inexistência de emoção são as principais características. Os psicopatas fingem e mentem muito bem, e forjam o afeto. Além disso, há os prejuízos sociais causados por esse tipo de transtorno mental, tais como agressões, estupros e assassinatos. É preciso ressaltar que o psicopata sente prazer em cometer o mal, em conseguir concretizar o que ele almeja. O falsário sente um extremo prazer ao conseguir enganar alguém, assim como o estuprador sente o mesmo ao cometer um estupro. Quando o mal está feito, ele não se culpa e ainda procura cometer outros crimes contra outras vítimas”, alerta. 

Diz ainda Araújo na entrevista ao portal Comunicação On-line: “O psicopata apresenta vários perfis. A grosso modo, existe o psicopata leve, moderado e grave. O psicopata leve é o conhecido “171”, aplica pequenos golpes e engana pessoas de bem. O moderado já se envolve de maneira mais contundente com as vítimas dos golpes, que quase sempre envolvem muitas pessoas e grandes somas em dinheiro. Já o psicopata grave, esse sim é o mais conhecido pelo público leigo. É o indivíduo que comete assassinatos a sangue frio, sejam em série ou não. Nos noticiários, infelizmente, volta e meia aparecem casos de assassinos e estupradores seriais, muitas vezes crimes com requintes de crueldade. O que os diferencia é a forma de agir. Uns sentem prazer no estupro, em torturar, outros em torturar e matar”. 

 “O psicopata já o é desde o nascimento. Mais cedo ou mais tarde, o transtorno pode ser deflagrado, em maior ou menor grau. Estudos demonstram que filhos de psicopatas têm cinco vezes mais chances de desenvolver o mesmo transtorno. Sabemos que todo transtorno mental tem causas biológicas, psíquicas e sociais. Uma criança filha de psicopata, que sofreu abuso e violência, tem ainda mais chances de desenvolver o transtorno. Um jovem pode desde cedo começar a demonstrar os primeiros sinais de que há algo errado. Por volta dos 15 anos pode apresentar os primeiros sinais de transtorno de conduta e se não tratado, pode evoluir para a psicopatia, conclui o psicólogo Leonardo Fd Araujo

Descrita pela primeira vez em 1941 pelo psiquiatra americano Hervey M. Cleckley, do Medical College da Geórgia, a psicopatia consiste num conjunto de comportamentos e traços de personalidade específicos. Encantadoras à primeira vista, essas pessoas geralmente causam boa impressão e são tidas como “normais” pelos que as conhecem superficialmente. No entanto, costumam ser egocêntricas, desonestas e indignas de confiança. Com freqüência adotam comportamentos irresponsáveis sem razão aparente, exceto pelo fato de se divertirem com o sofrimento alheio. Os psicopatas não sentem culpa. Nos relacionamentos amorosos são insensíveis e detestam compromisso. Sempre têm desculpas para seus descuidos, em geral culpando outras pessoas. Raramente aprendem com seus erros ou conseguem frear impulsos.

PIVÔ DA TRAGÉDIA

A mulher flagrada em imagens com Marcos Matsunaga, diretor-executivo da Yoki Alimentos, um dia antes de ele ser morto e esquartejado, pivô da crise disse em depoimento à polícia que recebeu R$ 27 mil de mesada do empresário pelos ‘serviços exclusivos de acompanhante’. A mulher, que em site de garotas de programa se identificava como Natália, de acordo com Elize, teria sido o motivo da briga do casal, que terminou em tragédia no interior de São Paulo que abalou o País. As imagens de Marcos com Natália foram feitas por um detetive contratado por Elize. Caso Yoki:  Elize Matsunaga era Kelly no mesmo  site de acompanhantes em que Natália, 23 anos, era Lara.

“Sou uma loirinha muito carinhosa. Você não vai se arrepender”. Segundo o site do Extra, com essas palavras e produção digna de revista masculina, Elize Araújo, de 30 anos, a garota de programa que atendia por Kelly, conquistou a atenção do empresário Marcos Kitano Matsunaga, de 40 anos, diretor-executivo e neto do fundador da indústria de alimentos Yoki, no anúncio de um site de prostitutas de luxo, em 2004. O empresário se separou da primeira mulher, com quem tinha uma filha, e em 2009 se casou com Elize. Quase três anos depois, em 19 de maio, ao descobrir que estava sendo traída, ela matou e esquartejou o marido.

No depoimento de quatro páginas, ao qual o Jornal Nacional teve acesso e exibiu os principais trechos ontem, Natália, (codinome Lara, 23 anos) diz que conheceu Marcos em 13 de fevereiro e que passou a se encontrar com ele duas vezes por semana, recebendo R$ 4 mil por mês pelos ‘serviços’. Com apenas quatro meses de relacionamento, Marcos também presenteou a amante com uma caminhonete Mitsubishi Pajero TR-4, o mesmo modelo de veículo que havia dado a Elize, avaliado em cerca de 80 mil reais e aumentou a mesada de  R$ 4 para R$ 27 mil, para tirar a foto do site e ter exclusividade.
Elize morava num apartamento de cobertura de 500m2, em bairro nobre de São Paulo, avaliado em mais de R$ 6 milhões, carro blindado, três empregadas e dinheiro para gastar como quisesse e hoje está presa num presídio em pequena cela e sem nenhuma mordomia. A Elize foi o pivô da destruição do casamento do Marcos que deixou a esposa com uma filha pequena e sabia bem que ele tinha uma vida desregrada e não deveria estranhar que ele estivesse se relacionando com  prostituta, sua tara sexual poderia ter se separado e ficaria rica e bonita como é, logo teria nova companhia, mas o monstro que estava nas profundezas acordou. 


CIÚME E DINHEIRO, AS MOTIVAÇÕES DO CRIME
 Marcos fez um seguro no valor de R$ 600 mil tendo Elize como única beneficiária e outro de grande valor para sua filha. Ela ficaria bem de vida com a morte do marido.
O corpo de Marcos foi dividido em cinco partes e espalhados, dentro de sacos de lixo, ao longo de uma estrada. Dois dias após o assassinato, munida das gravações do marido com a amante, feitas pelo detetive contratado, levou pessoalmente para os sogros informando que ele havia saído de casa para ficar com a amante e usando um computador de terceiros, passou e-mail para a Yoki Alimentos informando que o Marcos estava bem.E fez tudo isso sozinha! Obra de Satanás, dizem os religiosos!
  
Por que amor, ciúme e morte andam juntos?

Sobrinho é suspeito de esquartejar família brasileira na Espanha


Os corpos dos quatro membros da família brasileira foram encontrados esquartejados no dia 18 de setembro
Janaína Santos Américo, Marcos Campos Nogueira e os dois filhos foram encontrados esquartejados neste domingo em um povoado da Espanha.
O suspeito de assassinar o casal brasileiro e seus dois filhos pequenos na Espanha é um sobrinho do homem morto. Segundo o jornal espanhol El País, trata-se de Patrick Gouveia, uma pessoa de caráter “violento” e “emocionalmente instável” que tinha convivido com a família anteriormente.
Os corpos do casal Marcos Nogueira e Janaína Santos Américo e dos filhos de 1 e 4 anos foram descobertos esquartejados no dia 18 de setembro em Pioz, a 60 quilômetros de Guadalajara, na Espanha. No dia seguinte, o suspeito antecipou sua passagem de volta para o Brasil, que estava marcada para novembro. Em 22 de setembro, a Justiça espanhola expediu um auto de prisão e uma ordem de detenção europeia e internacional contra ele.
O sobrinho, que atualmente está foragido, era o principal suspeito para os investigadores da Guarda Civil Espanhola que trabalham no caso. Ele estaria obcecado por Janaína, esposa de seu tio.
O ministro de Interior da Espanha, Jorge Fernández Díaz, deu por “esclarecido” hoje o quádruplo assassinato e descartou a possibilidade de que os crimes tenham relação com o tráfico de drogas ou o crime organizado.
O suposto assassino, que tem menos de 20 anos, conviveu durante algum tempo em Madri com a família, que havia se mudado para o povoado de Pioz justamente para se afastar da personalidade violenta do sobrinho.
A ideia do rapaz, que tem um histórico de violência no Brasil e agiu por motivações pessoais, era transferir os corpos para algum lugar e sugerir um desaparecimento, plano que por motivos ainda não esclarecidos ele não conseguiu realizar.
A família, que originalmente é de João Pessoa (PB), foi morta à noite. Depois do crime, o suspeito esquartejou os corpos do casal e os colocou em sacolas, encontradas dias depois, quando vizinhos alertaram a polícia sobre o odor nas imediações da casa. Segundo a perícia, o assassino teve muito cuidado para limpar a residência e não deixar rastros. 

Especialistas explicam o comportamento de pessoas que assassinam companheiros.

O assassinato do empresário Marcos Kitano Matsunaga, de 41 anos, chama a atenção não apenas pela brutalidade, mas também por uma característica recorrente na crônica policial: o crime passional. Na quarta-feira, em depoimento à polícia, Elize Kitano Matsunaga, de 30 anos, mulher do ex-diretor executivo da Yoki Alimentos, confessou a autoria do assassinato e que a motivação, segundo ela, foi a infidelidade por parte do marido. Elize disse que, na noite do crime, disparou a pistola contra Marcos depois de os dois discutirem por causa das traições dele. Em seguida, ela arrastou o corpo para o quarto de hóspedes, onde o esquartejou.
“Mas o que leva alguém à decisão extrema de matar uma pessoa com quem mantém ou manteve um relacionamento afetivo? Para especialistas ouvidos pelo site de VEJA, não é possível estabelecer um padrão de comportamento que explique todos os casos. Entretanto, há, sim, uma característica comum nos episódios: os crimes são motivados por sentimentos como ciúmes, insegurança e necessidade de posse elevados à potência máxima”.
“Para o psiquiatra forense Guido Palomba, a maneira de lidar com esses sentimentos exacerbados é o que diferencia o comportamento considerado normal de outro propenso à execução de atos extremos, como um assassinato. “Todos nós sentimos ciúmes, mas ponderamos nossas atitudes de acordo com nossos valores morais e éticos”, afirma Palomba. “Algumas pessoas, entretanto, possuem estrutura psicológica mais frágil e têm mais dificuldades para lidar com frustações e normalmente julgam que têm poder ilimitado sobre outras pessoas. Em certas circunstâncias, cometem o delito."
“De acordo com Palomba, o ciúme extremo pode levar a quadros patológicos. Para evitá-los, é necessário atenção aos sinais apresentados pelo parceiro. “Há sempre indicadores, como o controle excessivo. Quando aparecem as ameaças e as agressões propriamente, o caso é realmente sério”, afirma o psiquiatra.
“Já na opinião de Daniel Martins de Barros, psiquiatra do Núcleo de Psiquiatria Forense do Hospital das Clínicas (HC-SP), a hipótese de patologia não pode reduzir a responsabilidade do criminoso por seus atos. “O ser humano é um ser racional e nossos afetos são subordinados à razão”, afirma Barros. “A paixão não exclui a responsabilidade do ser apaixonado, que deve responder criminalmente por seus atos, se for o caso. Hoje, não se aceita mais o argumento do ciúme extremo como explicação para um crime desse tipo, o que revela amadurecimento da própria sociedade”.



O QUE DIZEM OS INTERNAUTAS
Eis alguns comentários no site http://veja.abril.com.br:

PATRICIA, diz: Que isso sirva de lição para homens safados e traidores q acham q a mulher sempre vai aceitar suas traições. Homem pode fazer tudo e mulher nada.
Augusto, diz: Que guria boba, nova, bonita e tonta... poderia ter se divorciado do marido alegando infelicidade, contratar um advogado e um especialista para pegar o maridão no flagra e ainda por cima iria sair com a grana toda do Yoki.... mas como foi tonta... agora vai parar na cadeia e acabou com a sua vida e a da filha...
Luiz Filipe Relacionamento só e serio e verdadeiro, quando ambos se ama, respeita e sonha o mesmo futuro, caso contrario não e amor é conseguente mente se torna tragedia se a pessoa não tiver cabeça para intender que aquela união não existe mais ou nunca existiu como o psicologo explico na reportagem.
Wellington Alves Em qualquer relacionamento afetivo o que vale além do amor é a cumplicidade dos amantes, o respeito e sobretudo a responsabilidade de um para com o outro. Se você gosta de alguém você não dar motivos para ciúmes e sempre procurar conversar sobre este assunto e outros de interesse do casal.O que não pode é confundir egoísmo, (..)
Observador diz: Essa senhora tem uma patologia grave. O medo da rejeição e abandono a levou a matar. Solta, em uma nova relação ela fere ou mata de novo. Boderline grave. Transtorno de personalidade com agressividade.
ANTONIO: BEM, ESSE TIPO DE CRIME A GENTE TEM VISTO COM MAIOR FREQUENCIA QUANDO A MULHER TEM UM CASO EXTRA- CONJUGAL E QUER SE LIVRAR DO MARIDO PARA FICAR COM AQUELE POR QUEM SE APAIXONOU.
Prisca: Paixão, fúria, ódio e ressentimento sim. Mas AMOR, jamais! A força desse estado de espírito é capaz de superar os maiores dissabores. Um crime macabro desse realmente teria uma explicação consistente na mentalidade e personalidade dessa criminosa. Ela já havia matado esse homem antes de se casar com ele. Alimentou a morte de (..)
FERNANDO: FIQUEM TRANQUILOS: A MÍDIA FEMINISTA IRÁ SE APRESSAR EM CULPAR O MORTO E ABSOLVER A ELIZE. APOSTO DINHEIRO QUE ELA SERÁ ABSOLVIDA.
jaime rosa, Bem a alegação de mulher traída faz com que esta senhora de repente não perca a herança, pois segundo o código civil....
Vilmara S Fernandes, diz: Uma pessoa em seu consciente normal não é capaz de matar,porém o ciúmes com o ódio corroí o ser a ponto de se destruir e destruir quem estar ao seu lado.Sabemos que é difícil aceitar a traição ,mas não temos o direito de tirar a vida de ninguém.Deus deu a vida é só ele pode tira-la as demais pessoas que praticam esse ato são (..)
Aline: deixar este monstro na prisão até o ultimo suspiro, imagine alguém disse que ama tem filho e assassina o pai de seu filho, essa mulher não e ser humano por mais que entenda psique o ciúme não fundamenta o crime doloso com ocultação de cadáver, tenho absoluta certeza que o Dr Flavio D´urso, ira levar a júri popular ser condena(..)
aldo soares: É isso, a impunidade, que grassa no país bonzinho pra bandido. Crimes estarrecedores horrendos difíceis até de descrever: pena, 30 anos de mentirinha; aí vem os "terços": 10 anos rua; e ainda por cima por bom comportamento como acontece com estupradores, soltos e que voltam e fazer mais vítimas. Enquanto isso... a secretar(..)
Ana: E o caso Nardoni? Esse chocou muito também, principalmente por não haver uma confissão e nem testemunhas.
Clotilde Esta faltando amor de Deus, as pessoas que dizem que amam,não amam sentem posse delas...independente homens ou mulhers ninguem tem o direito de tirar a vida de ninguém, amar é deixar o outro livre...mesmo que isso tenha que ser um para cada lado.
Filintro Almeida: O Amor não arde em ciúmes, não se ensorbebece, não trata com leviandade, não suspeita mal, o AMOR suporta tudo. Paixão,sentimento de posse, isso sim mata, destrói.
Ricardoo, diz: ser humano e dotado de ódio e amor.tudo depende da índole da pessoa.esta mulher casou com interesses financeiros.nunca deve ter gostado dele. conviveu com ele a duras penas, sempre desejando matá-lo.
Maria Alice: Eu acredito q uma pessoa q mata esta perturbado, transtornado, descontrolado, etc., mas quem mata e tem o trabalho de esquartejar é frio, calculista e Quem mata está transtornado, fora de si, perturbado com os sentimentos, mas quem mata e esquarteja é um doente mental, frio e calculista e não ama ninguém
Ana Lúcia: tirei essas palavras do livro Ágape do padre Marcelo Rossi A inteligência sem amor te faz perverso.a simplicidade sem amor te faz tirano. ninguém nasce odiando outra pessoa ou por sua origem,ou sua religião o ódio e uma forma mesquinha de resolver os conflitos. a inveja,o orgulho,a prepotência,o desrespeito, a injustiça (..)

MARCOS MATSUNAGA, PADRÃO DE COMPORTAMENTO
O surgimento de outra prostituta no enredo do Caso Yoki demonstra um padrão de comportamento por parte da vítima, o empresário Marcos Kitano Matsunaga, assassinado e esquartejado no dia 19 de maio pela mulher, Elize Araújo Matsunaga. A morena foi flagrada nas imagens gravadas por um detetive particular contratado por Elize e teria sido o pivô da discussão que resultou no assassinato de Matsunaga por Elize.O mais curioso é que, antes de morrer, Marcos parecia reproduzir com a nova amante a mesma  história que havia vivido com Elize, quando a conheceu em 2004. Assim como Elize, a cearense de 23 anos identificada apenas como Natália também é garota de programa.  E assim como Elize, a morena também foi contatada pelo ex-executivo da Yoki graças a um anúncio no site http://www.mclasse.com.br/, usado por garotas de programa para anunciar seu serviços. Natália confirmou que o empresário passou a se encontrar frequentemente com ela, oferecendo-lhe, desde fevereiro, uma mesada de 4 000 reais - exatamente como fizera com Elize quando ainda era casado com sua primeira esposa. Com apenas três meses de relacionamento, já levou Natália para conhecer a fábrica da Yoki, onde a apresentou como compradora de amendoim. O Marcos era assim imprudente. Era o canto do cisne, pois a Yoki foi vendida a um grupo americano.

Tiro não causou morte de Marcos Matsunaga, garante o advogado Luiz Flávio D’Urso

Em reportagem publicada em O GLOBO de 13/06/12, do jornalista Leonardo Guandeline:  “O advogado Luiz Flávio Borges D’Urso, contratado pela família do empresário Marcos Kitano Matsunaga, diretor executivo e neto do fundador da indústria de alimentos Yoki, disse que a causa mortis do executivo foi traumatismo craniano associado a asfixia por sangue em consequência de uma decapitação, e não o tiro de pistola calibre 380 disparado pela técnica em enfermagem e bacharel em direito Elize Araújo Matsunaga, que confessou a morte e o esquartejamento do marido. D’Urso teve acesso ao laudo necroscópico do Instituto Médico Legal (IML), que também indica que o tiro disparado contra Marcos pela mulher foi dado à curta distância, e de cima para baixo, o que não sustentaria a versão de Elize dada à polícia, já que a vítima estaria sentada – Elize é mais baixa que o empresário e disse que atirou após ser agredida e humilhada pelo marido, durante uma discussão do casal.
D’Urso acredita que Elize alvejou o marido e depois o decapitou, causando a morte por asfixia. Na confissão, Elize disse que esquartejou o marido somente dez horas após o tiro. Apesar da Polícia Civil ter relatado o inquérito à Justiça nesta quinta-feira, as investigações continuam, garantiu o advogado, que acredita em premeditação e até na suposta participação de uma terceira pessoa no crime.
- Tivemos uma reviravolta agora à tarde. A versão da Elize não se sustenta. O tiro partiu de cima para baixo, como se ele (Marcos) estivesse sentado. Além disso, não foi o tiro que causou a morte dele, conforme divulgado ontem, e sim asfixia por sangue em consequência de uma decapitação. E esse sangue o asfixiou, levando o Marcos à morte – disse D’Urso”.

Caso Elize Araújo Matsunaga, 30 anos, disse ter matado e esquartejado o marido, em 19/0512, o executivo Marcos Kitano Matsunaga, 41 anos, porque foi ameaçada por ele de perder a guarda em uma possível separação do casal, segundo a defesa. Elize tem origem muito humilde e nasceu em Chopinzinho, cidade que fica a 400 km de Curitiba, no Paraná, onde morava com a mãe e o padrasto, de onde saiu aos 18 anos para morar em Curitiba.
 “Uma garota de programa conhecida como Natália afirmou à polícia de São Paulo que esteve com o executivo da Yoki Marcos Matsunaga, 41, nos três últimos dias antes da morte dele, em maio. Ela disse, ainda, que o relacionamento com ele começou no início do ano e que ele lhe deu um carro de presente.
A informação é da reportagem de Rogério Pagnan e Josmar Jozino publicada na edição desta segunda-feira da Folha de São Paulo (11/06/12). A polícia chegou a Natália por meio do detetive contratado por Elize para investigar a infidelidade do marido. Matsunaga conheceu Natália, uma morena de 23 anos, cearense, no mesmo site de relacionamento em que conheceu Elize há alguns anos”.
Após atirar no marido, Elize -- que é bacharel em direito e tem formação técnica em enfermagem -- disse que esperou cerca de dez horas o corpo esfriar para evitar um sangramento maior da vítima. E na presença de seu advogado, Luciano Santoro, Elize contou que demorou cerca de quatro horas para esquartejar o marido. Conhecedora de anatomia, a mulher sabia que era o tempo suficiente para que adquirisse rigidez cadavérica, eliminando pouco sangue quando fosse cortado.  Depois, limpou o banheiro para evitar rastros. Colocou o corpo em sacos plásticos dentro de três malas e as jogou em um terreno baldio em Cotia, na Grande São Paulo. Ela afirmou também que se desfez do corpo no mesmo dia --disse que costumava passar pela região a caminho de um sítio em Ibiúna. A filha do casal, de um ano, estava no apartamento na hora do crime. O trauma que essa criança terá ao saber da tragédia envolvendo os pais...
.                                  ***
Caso Suzane Louise Von Richthofen. Filha de uma psiquiatra, a mãe nunca suspeitou que tinha em casa uma psicopata da maior periculosidade.
Em 2002, também em São Paulo, Suzane contratou os irmãos Cravinhos (um deles era seu namorado) para matar seus pais a pauladas, com ela ouvindo os gritos na parte de baixo da casa. Seus pais Manfred Albert Freiherr von Richthofen (engenheiro) e sua mãe Marísia von Richthofen (psiquiatra) foram mortos na cama em que dormiam no dia 31 de outubro de 2002. Suzane foidescrita pelo delegado Domingos de Paulo Neto, que dirigia o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa de São Paulo quando do duplo assassinato: "Ela é fria, calculista e impetuosa".

Motivação Suzane afirma que seus pais não aceitavam o namoro e a impediam de ver o rapaz. Além disso, existia um suposto interesse na herança (que Suzane agora nega) e uma suposta manipulação dela exercida por Daniel Cravinhos - que diz ter ocorrido justamente o oposto: fora ela que jurou seus pais de morte antes desse atentado cometido por ela.

Acusação O promotor Roberto Tardelli esperava que Suzane von Richthofen e os irmãos Daniel e Christian Cravinhos fossem sentenciados a 50 anos de prisão cada um. Suzane, seu namorado Daniel e o irmão dele, Christian Cravinhos, confessaram ter matado os pais dela, a "golpes de pau", na casa em que a família vivia e foram denunciados pelo Ministério Público por crime de duplo homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima; e fraude processual, por terem alterado a cena do crime.

VEJA NESTE BLOG o texto: "OS QUE FRACASSAM AO TRIUNFAR"

4 comentários:

  1. Heitor Garcia de Carvalho diz por e-mail:
    Theodiano,
    A questão da criminalidade é complexa e não é possível encontrar uma bala de prata que a extinga.Há entretanto bons exemplos de trabalho bem feito, com bases em boa ciência, boa administração e muito esforço. Um exemplo é o Canadá onde a criminalidade é muito baixa, poderíamos dizer, residual ou seja, chegando àquele ponto em que é muito difícil conseguir-se chegar ao zero absoluto. É o que deveríamos imitar, um esforço lastreado em um conjunto de providências civilizatórias, preventivas e repressivas.
    Algumas poucas vezes isto não funciona mas é muito raro a imitação dos criminosos americanos que tentam fazer o maior dano possível e suicidar-se uma vez que não poderão ter duas penas de morte.
    A segunda linha de defesa é a preventiva. A prevenção é quase uma religião no Canadá. Todos os prédios, inclusive com escolares de maternal, fazem exercício de incêndio mais de uma vez por ano.
    Além de prevenir os eventos mais agudos de violência cria oportunidades de descobrir casos "invisiveis" em progressão e acudí-los antes que seja tarde demais.
    Um terceiro e importante processo é a repressão contínua, eficaz e inteligente. Um policial nas ruas, muitas vezes,nem está armado. Não se cultua a figura cinematográfica americana do herói lobo solitário. Sua atuação é mais
    de um funcionário público técnico que está executando uma tarefa cidadâ.

    Nos casos citados dos crimes macabros, há dois componentes muito perniciosos envolvidos. Um deles é a criação de hábitos nas pessoas de que elas podem e tem "direito" a receber tudo que ambicionem sem ter que fazer o mínimo esforço para merecer o que querem. O Brasil é único país em que tenho notícia em que os avós podem ser condenados a pagar pensão aos netos de pais vivos! É evidente que não tiveram nenhuma responsabilidade pelo nascimento de tais pessoas mas podem ir para cadeia por isto. Assim filhos com a pré-absolvição contida na frase "não pedi para nascer" acham-se no "direito" de exigir tudo durante toda a vida. Com a frase seguinte " a vítima não pode reagir" cria-se o resto do "raciocínio". Isto é, eu, criminoso, tenho o direito de fazer o que eu quero e, se a vítima
    reagir às minhas pretenções, tenho o "direito" de usar a violência que quiser, inclusive matar, e tenho certeza de que algum juiz atendendo a algum bom advogado vai livrar-me das consequências e ainda vou virar celebridade!!!
    Se ao contrário de prevenir, administrar e reprimir a violência e a criminalidade tomam-se procedimentos que as estimulam pela publicidade e recompensa, que avisam e procedem à impunidade, que a pré-absolvem, não é de se estranhar que os casos aumentem e se multipliquem pela imitação e pela divulgação ampla dos maus exemplos.
    Heitor Garcia de Carvalho

    ResponderExcluir
  2. A Cínica Energia, através de Sônia Porto, disse por e-mail: Obrigada pelo texto. Muito boa a definição de psicopatia.

    ResponderExcluir
  3. Geraldo Brito Freire (Brasília), diz por e-mail:
    Caro Thede:
    Parabéns pelas adequadas análises.
    Em nossos dias o miolo é uma raridade; o equilíbrio, a justa medida das coisas.
    Continue. A sociedade precisa de pensadores atilados, equilibrados e justos.
    Sua descendência concluiu hoje a visita. Com toda simpatia e beleza.
    Quem tem uma estirpe desse náipe pode ufanar-se realmente;. é um dom divino e como tal deve ser usado. é essa turma que vai dar ao mundo o espírito de retidão,aproveitamento do tempo,, consideração para as realidades objetivas, para as coisas sérias a final, o bom fermento que leveda a massa..
    Vamos agradecer ao Senhor por tudo isso. NÃO FORAM EM VÃO SEUS ESFORÇOS.. QUE SIRVAM DE MODELO PARA TANTOS.
    um grande abraço para você, p/ Lila e toda simpática descendência.
    Zete e Nen.

    ResponderExcluir
  4. Acompanho textos a um bom tempo sobre psicopatia por acreditar estar ainda sofrendo hoje por isso.

    Só um detalhe do texto que queria frisar: "pois, diferentemente do que ocorre em OUTRAS doenças mentais, os psicopatas não entram em delírio".

    Pelo que me informei, salvo engano, a psicopatia não é uma doença e sim uma característica de personalidade de uma pessoa.

    Ou seja, quero afirmar pelo que soube que uma pessoa assim quase sempre já nasce psicopata. É a personalidade dela e não uma doença.

    Se no fim estamos falando a mesma coisa, então está ótimo também!

    Abraços

    ResponderExcluir