quarta-feira, 27 de outubro de 2021

CPI DA PANDEMIA CONCLUI MISSÃO, VEJA OS INDICIADOS

Por THEODIANO BASTOS

Presidida pelo senador Osmar Aziz, a CPI DA PANDEMIA CHEGA AO FIM

Além do presidente Jair Messias Bolsonaro, também foram indiciados seus três filhos e o ministro da Defesa Gal. Braga Neto. 

"Afirmação de Bolsonaro sobre vacina e aids deu último gás à CPI."           BOLSONARO REQUENTA FAKE NEWS QUE ASSOCIA VACINA CONTRA COVID AO HIV

Os boatos de que um suposto relatório do Reino Unido que mostraria que pessoas totalmente vacinadas contra a Covid-19 desenvolveram ​​Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids), foram desmentidos pelos portais de checagem do G1 e Aos fatos. Os rumores foram intensificados nas redes sociais após o presidente da República Jair Bolsonaro citar o estudo em sua live semanal na última quinta-feira (21). 

“Uma comparação de relatórios oficiais do governo sugere que os totalmente vacinados estão desenvolvendo a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida muito mais rápido do que o previsto”, disse Bolsonaro que não quis entrar em detalhes, segundo ele, para não dar problemas na live. 

Veja a lista dos indiciados da CPI da Pandemia, segundo o relatório de Renan Calheiros

INDICIADOS NO RELATÓRIO DA CPI DA PANDEMIA

Presidente da República, Jair Bolsonaro prevaricação, charlatanismo, epidemia com resultado morte, infração a medidas sanitárias preventivas, emprego irregular de verba pública, incitação ao crime, falsificação de documentos particulares, crimes de responsabilidade (violação de direito social e incompatibilidade com dignidade, honra e decoro do cargo), crimes contra a humanidade (nas modalidades extermínio, perseguição e outros atos desumanos)

Ex-Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello,

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga,

Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República e ex-ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni,

Ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo,

Ministro-chefe da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário,

Ministro da Defesa e ex-ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto,

Ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco,

Deputado Ricardo Barros (PP‑PR),

Senador Flávio Bolsonaro (Patriota‑RJ),

Deputado Eduardo Bolsonaro (PSL‑SP),

Deputada Bia Kicis (PSL ‑DF),

Deputada Carla Zambelli (PSL‑SP),

Vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos‑RJ),

Deputado Osmar Terra (MDB‑RS),

Deputado Carlos Jordy (PSL‑RJ),

Político suspeito de disseminar fake news, Roberto Jefferson,

Ex-chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) do governo federal,  Fábio Wajngarten,

Assessor Especial para Assuntos Internacionais do Presidente da República, Filipe G. Martins,

Médica participante do ‘gabinete paralelo’, Nise Yamaguchi,

Ex-assessor da Presidência da República e participante do ‘gabinete paralelo’, Arthur Weintraub,

Empresário e e participante do ‘gabinete paralelo’, Carlos Wizard,

Empresário suspeito de disseminar fake news , Luciano Hang,

Empresário suspeito de disseminar fake news,  Otávio Fakhoury,

Diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior,

Biólogo e participante do ‘gabinete paralelo’, Paolo Zanotto,

Médico e participante do ‘gabinete paralelo’, Luciano Dias Azevedo,

Presidente do Conselho Federal de Medicina, Mauro Ribeiro,

Blogueiro suspeito de disseminar fake news, Allan Lopes dos Santos,

Secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro,

Ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias,

Representante da Davati no Brasil, Cristiano Carvalho,

Representante da Davati no Brasil, Luiz Paulo Dominguetti,

Sócio da empresa Precisa, Francisco Emerson Maximiano,

Sócio da empresa Primarcial Holding e Participações Ltda e diretor de relações institucionais da Precisa, Danilo Trento,

Advogado e sócio oculto da empresa FIB Bank, Marcos Tolentino da Silva,

Intermediador nas tratativas da Davati, Rafael Alves,

Intermediador nas tratativas da Davati, José Odilon Torres da Silveira Júnior,

Ex-assessor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde e intermediador nas tratativas da Davati, Marcelo Blanco,

Diretora-Executiva e responsável técnica farmacêutica da empresa Precisa, Emanuela Medrades,

Consultor jurídico da empresa Precisa, Túlio Silveira,

Ex-assessor especial do Ministério da Saúde, Airton Soligo,

Editor do site bolsonarista Crítica Nacional suspeito de disseminar fake news, Paulo de Oliveira Eneas,

Diretor do jornal Brasil Sem Medo, suspeito de disseminar fake news, Bernardo Kuster,

Blogueiro suspeito de disseminar fake news, Oswaldo Eustáquio,

Artista gráfico supeito de disseminar fake news,  Richards Pozzer,

Jornalista suspeito de disseminar fake news,  Leandro Ruschel,

Assessor Especial da Presidência da República,  Técio Arnaud,

Ex-presidente da Fundação Alexandre Gusmão (Funag), Roberto Goidanich,

Sócio da empresa VTCLog, Raimundo Nonato Brasil,

Diretora-executiva da empresa VTCLog, Andreia da Silva Lima,

Sócio da empresa VTCLog, Carlos Alberto de Sá,

Sócia da empresa VTCLog, Teresa Cristina Reis de Sá,

Ex-secretário da Anvisa, José Ricardo Santana,

Lobista Marconny Albernaz de Faria,

Médica da Prevent Senior, Daniella Moreira da Silva,

Médica da Prevent Senior, Paola Werneck,

Médica da Prevent Senior, Carla Guerra,

Médico da Prevent Senior, Rodrigo Esper,

Médico da Prevent Senior, Fernando Oikawa,

Médico da Prevent Senior, Daniel Garrido Baena,

Médico da Prevent Senior, João Paulo F. Barros,

Médica da Prevent Senior, Fernanda de Oliveira Igarashi,

Sócio da Prevent Senior, Fernando Parrillo,

Sócio da Prevent Senior, Eduardo Parrillo,

Médico que fez estudo com proxalutamida, Flávio Cadegiani,

Precisa Comercialização de Medicamentos Ltda,

VTC Operadora Logística Ltda – VTCLog,

médico e presidente do grupo Médicos pela Vida, Antônio Jordão de Oliveira Neto,

Presidente do Instituto Força Brasil,  Hélcio Bruno de Almeida,

Governador do Amazonas, Wilson Miranda Lima,

Secretário de Saúde do Amazonas. Marcellus José Barroso Campêlo,

Ex-subchefe de Articulação e Monitoramento da Casa Civil e ex-coordenador Centro de Coordenação das Operações do Comitê de Crise da Covid-19, Heitor Freire de Abreu,

Assessor do Ministério da Saúde, Marcelo Bento Pires,

Ex-Coordenador de logística do Ministério da Saúde, Alex Lial Marinho,

Assessor técnico do Ministério da Saúde, Thiago Fernandes da Costa,

Fiscal de Contrato no Ministério da Saúde, Regina Célia Oliveira,

Secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde, do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Netto,

Dono do grupo José Alves, do qual faz parte a Vitamedic, José Alves Filho,

Representante da Senah, Amilton Gomes de Paula 

Fonte: Agência Senado https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2021/10/26/veja-a-lista-dos-indiciados-da-cpi-no-relatorio-de-renan-calheiros

 

 

sábado, 23 de outubro de 2021

MORO É CANDIDATO A PRESIDENTE PELO PODEMOS

 

Por THEODIANO BASTOS

Novidades no tabuleiro do xadrez político em 22.          

Moro entra no Podemos e confirma que será candidato a presidente em 22.

Já Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, sai do DEM e se filia ao PSD. “Ele só não será candidato a presidente da República se não quiser", disse o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, emendando ter certeza de que "ele não vai se negar a cumprir essa missão".

Moro, muito forte nas redes sociais, com muitos grupos de apoio, acredita que será um forte candidato a chegar no segundo turno. 

Slogan do Podemos: – Juntos Podemos mudar o Brasil!                                    Este texto está nos blogs: theodianobastos.blogspot.com, ongcepaes.blogspot.com e no Facebook

Podemos (PODE), originalmente denominado Partido Trabalhista Nacional (PTN) fundado em 1995 é presidido por Renata Abreu.

Em 2016, mudou seu nome para "Podemos" inspirado no slogan da campanha de Barack Obama à presidência dos EUA, "sim, nós podemos" ("yes, we can").

No Senado Federal tem três senadores: Álvaro Dias,  Romário e José Medeiros e na Câmara dos Deputados tem dez representantes e faz parte do Bloco             (PSL/53, PL/41, PP/40, PSD/35, MDB/34, PSDB/33, REPUBLICANOS/33, DEM/29, PODE/10, AVANTE/8, PATRIOTA/6)

Segundo representantes como sua presidente nacional, Renata Abreu, o Podemos não é de esquerda ou de direita, mas "para a frente", defensor de mais participação popular no processo de tomada de decisões.

O partido defende mais mecanismos de democracia direta no Brasil, seja através de plebiscitos e referendos (como proposto na PEC 330/2017, de autoria de Renata Abreu, que propõe que a cada eleição o povo possa votar em mais do que candidatos, mas também em temas importantes de interesse da maioria), veto popular (como defende a PEC 331/2017, também de Renata Abreu, que pretende incluir na constituição o direito do povo de vetar leis já aprovadas) ou direito de revogação (conforme propõem a PEC 37/2016, de Álvaro Dias, e a PEC 332/2017, de Renata Abreu.

Na análise clássica das ciências políticas, é definido como de centro à centro-direita por englobar, em sua ideologia, a defesa da distribuição de renda, da política verde, dos direitos da mulherda liberdade socioeconômica, do voto facultativo, do fim do Foro Privilegiado, da prisão em segunda instância, da transparência com contas/contratos públicos e de políticas de prevenção ao uso de drogas. https://pt.wikipedia.org/wiki/Podemos_(Brasil)

 

 

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

O GOOGLE É EXTRAORDINÁRIO

    Por THEODIANO BASTOS


Além das plataformas de buscas e localizações, o Google também tem o Blogger onde meu blog theodianobastos.blogsot.com está abrigado. Lido em 135 países e em 12 idiomas, em todo o período fui acessado  277.497 vezes até 18/10/21

Textos mais lidos: Aldo Moro, Sérgio Moro – Crimes Macabros – Jonas Suassuna – 17 anos, 8 homicídios e é solto  com ficha limpa – Conexão Brasil Cuba  e Suzane von Richthofen 2012

19

Países que mais acessam pelo GOOGLE ANALYTICS:         Estados Unidos 150 mil – Brasil 83,1 mil – Rússia 15,9 mil – Alemanha 6,56 mil – França 2,26 mil – Romênia 2,25 mil – Ucrânia 1,86 mil – Portugal 1,4 mil - Países Baixos 823 – Suécia 693- Região desconhecida 600 – China 573 - Reino Unido 540 – Canadá 527 Espanha 463Irlanda 391- Emirados Árabes Unidos 362 Turcomenistão 329 – Malásia 270 – Outro 8,25 mil

A empresa foi fundada por Larry Page e Sergey Brin, muitas vezes apelidados de "Google Guys", enquanto os dois estavam frequentando a Universidade Stanford como estudantes de doutoramento. Foi fundada como uma empresa privada em 4 de setembro de 1998 e sua oferta pública inicial foi realizada em 19 de agosto de 2004. A missão declarada da empresa desde o início foi "organizar a informação mundial e torná-la universalmente acessível e útil" e seu slogan não oficial era "Não seja mal". Em outubro de 2015, o lema foi substituído no código de conduta corporativo da Alphabet pela frase "Faça a coisa certa". Em 2006, a empresa mudou-se para sua atual sede, em Mountain ViewCondado de Santa Clara no estado da Califórnia. O Google é executado através de mais de um milhão de servidores em data centers ao redor do mundo e processa mais de cinco bilhões de solicitações de pesquisa e vinte petabytes de dados gerados por usuários todos os dias.

O rápido crescimento do Google desde sua incorporação culminou em uma cadeia de outros produtos, aquisições e parcerias que vão além do núcleo inicial como motor de buscas. Os produtos do Google se estendem à área de trabalho, com aplicativos como o navegador Google Chrome, o programa de organização de edição de fotografias Picasa e o aplicativo de mensagens instantâneas Google Talk. Notavelmente, o Google também lidera o desenvolvimento do sistema operacional móvel para smartphones Android, usado em celulares de marcas como SamsungMotorolaLGHTCHuawei e Xiaomi.                                                         Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Google

 

 

 

 

 

 

 

domingo, 17 de outubro de 2021

CPI DA PANDEMIA, RELATÓRIO SERÁ EXPLOSIVO


Por THEODIANO BASTOS

Relatório final da CPI pede indiciamento de 66 pessoas; veja lista

Parecer de Renan Calheiros pede responsabilização de Jair Bolsonaro e de seus três filhos políticos, além do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e do atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga. Pastor Silas Malafaia é retirado do rol de indiciadoshttps://www.correiobraziliense.com.br/politica/2021/10/4956699-relatorio-final-da-cpi-pede-indiciamento-de-66-pessoas-veja-lista.html 

Relatório da CPI será votado em 26 de outubro, diz Omar Aziz

Malu Gaspar: Relatório de Renan Calheiros causou briga no Grupo da CPI da Covid no WhatsApp

Vazamento de trechos do documento na imprensa levou o senador a adiar a divulgação do texto para a semana que vem https://blogs.oglobo.globo.com/malu-gaspar/post/relatorio-de-renan-calheiros-causou-briga-no-grupo-de-whatsapp-da-cpi-da-covid.html 

Além do presidente, CPI da Covid deve pedir indiciamento de filhos de Bolsonaro em relatório final.

Depois de quase seis meses de investigação, o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado, deverá propor na semana que vem o indiciamento de pelo menos 64 pessoas, incluindo o presidente Jair Bolsonaro, seus três filhos políticos, ministros e médicos. O parecer final será assinado pelo relator, Renan Calheiros (MDB-AL). A intenção é mostrar que as condutas que teriam levado o País a registrar mais de 600 mil mortes pela doença não se limitaram a integrantes do governo, mas partiram de toda uma rede próxima ao presidente.

 

Como se vê, até o fim do ano teremos muita tensão na política. Existem 131 pedidos de impeachments contra Bolsonaro, E NENHUM FOI ARQUIVADO...

Também o TSE decidirá sobre a cassação da chapa Bolsonaro Mourão, o que acho improvável.

Todavia o relatório da CPI da Covid será explosivo, de consequências imprevisíveis.

 

O relatório deve atribuir pelo menos 11 crimes a Bolsonaro e denunciar os três filhos do presidente, diz Renan Calheiros

Entre as pessoas que devem ser indiciadas no relatório, além do presidente Jair Bolsonaro, Calheiros citou:

  • o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), "pela sua participação na negociata da aquisição das vacinas";
  • o deputado Osmar Terra (MDB-RS) "que foi uma espécie do porta-voz do negacionismo, dizia que nós não íamos ter mil mortes com a pandemia, que isso logo acabaria";
  • os médicos Nise YamaguchiPaolo Zanotto e outros identificados por Calheiros, na entrevista, como "ilustres integrantes do gabinete paralelo";
  • os "ilustres membros do gabinete do ódio", nas palavras do senador.

 

Comissão deve concluir trabalhos ainda neste mês e enviar conclusões ao Ministério Público, que analisará se envia casos à Justiça. Relator, Calheiros prevê ao menos 40 indiciados.

O relatório final da CPI da Covid no Senado, a ser apresentado e votado ainda neste mês, deve listar pelo menos 11 crimes atribuídos ao presidente Jair Bolsonaro, afirmou à GloboNews neste domingo (10) o relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL).

A lista, segundo Renan, inclui crimes de responsabilidade, crimes contra a saúde pública e mesmo crimes contra a humanidade, além de condutas previstas no Código Penal.

"Teremos com certeza mais de 40 acusados [indiciados]. Só com relação ao presidente da República, já selecionamos 11 tipos penais. Vão de crimes de responsabilidade, passando por crimes comuns, crimes contra a saúde pública e crimes contra a humanidade, também", listou.

O relatório final de uma CPI não propõe acusações diretas à Justiça, mas sim, indiciamentos. O trâmite é similar ao de um inquérito policial – as conclusões da investigação são enviadas ao Ministério Público, que analisa e decide se apresenta denúncia formal ao Judiciário.

No caso de Jair Bolsonaro, esse indiciamento precisa ser apresentado à Procuradoria-Geral da República (PGR) – que, pela Constituição, tem a prerrogativa de protocolar ações penais contra o presidente.

Segundo Calheiros, outras instâncias do Ministério Público também receberão o relatório final.

"Todos que precisarem ser indiciados, nós vamos indiciar. Nós, no entanto, vamos mandar para instâncias diferentes do Ministério Público Federal as acusações, esses indiciamentos. Nós só vamos mandar para o procurador-geral da República aqueles que tenham o foro especial adequado", explicou.

"Nós estamos até pensando em adiantar esse caso da Prevent Senior para o Ministério Público do Estado de São Paulo, com todos os elementos que nós coligimos. Exatamente para que, se for o caso de se antecipar alguma medida processual jurídica, ela seja imediatamente processada", afirmou.                           FONTES: https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,alem-do-presidente-cpi-da-covid-deve-pedir-indiciamento-de-filhos-de-bolsonaro-em-relatorio-final,70003869507 e https://g1.globo.com/politica/cpi-da-covid/noticia/2021/10/10/relatorio-da-cpi-da-covid-deve-atribuir-pelo-menos-11-crimes-a-bolsonaro-diz-renan-calheiros.ghtml